Glândulas Sebáceas

Por Débora Carvalho Meldau
As glândulas sebáceas são glândulas secretoras de uma substância oleosa, chamada de sebo e encontram-se na pele dos mamíferos. Normalmente, seus dutos desembocam nos folículos pilosos. Porém, em certas regiões, como lábio, glande e pequenos lábios da vagina, os ductos se abrem diretamente na superfície da pele. A pele localizada na palma das mãos e na sola dos pés, não possuem este tipo de glândula.

Estas glândulas possuem um formato alveolar e, geralmente, desembocam em um ducto curto. Os alvéolos são formados por uma camada externa de células epiteliais achatadas presentes sobre uma membrana basal. Estas células proliferam e diferenciam-se em células arredondadas, e acumulam em seu citoplasma o produto de secreção de natureza lipídica. À medida que ocorre esta proliferação, as células que estão sendo produzidas, vão empurrando as células mais antigas para o centro do alvéolo, e estas, por sua vez, morrem e se rompem, dando origem à secreção sebácea.

A secreção sebácea é uma mistura de lipídios que contém triglicerídeos, ácidos graxos livres, colesterol e ésteres de colesterol. Sua liberação vai depender da velocidade de reprodução das células que compõem os alvéolos secretores, sendo que este mecanismo é controlado pelo hormônio andrógeno. Este é um hormônio tipicamente masculino, mas está presente em ambos os sexos. São produzidas em maior quantidade pelos testículos, mas também são elaborados pelas glândulas adrenais.

A produção de sebo nos recém-nascidos é muito grande, devido à influência dos andrógenos provenientes do organismo da mãe antes de seu nascimento. Ao passo que este hormônio sofre o metabolismo do organismo, sua produção é reduzida, sendo mantida constante durante a infância. Ao chegar à puberdade, a atividade secretora desta glândula aumenta, pois nesta etapa da vida ela passa a ser estimulada pelos hormônios sexuais. Nos idosos, esta produção é diminuída, pois neles, as glândulas passam a ter uma baixa resposta às influências hormonais.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Glândula_sebácea
http://www.medipedia.pt/home/home.php?module=artigoEnc&id=453
Foto: http://en.wikipedia.org/wiki/File:Insertion_of_sebaceous_glands_into_hair_shaft_x10.jpg
Histologia Básica – Luiz C. Junqueira e José Carneiro. Editora Guanabara Koogan S.A. (10° Ed), 2004.