Árvore Brônquica

Por Débora Carvalho Meldau
A árvore brônquica é formada pelos brônquios, bronquíolos, ductos alveolares, sacos alveolares e alvéolos, e é responsável por levar o ar aspirado pelas fossas nasais até o pulmão.

A traquéia, um pouco antes de penetrar no pulmão através do hilo, ramifica-se em duas, dando origem aos brônquios. Esses são denominados de brônquios primários, que dentro do pulmão dirigem-se para baixo e para fora, originando três brônquios no pulmão direito e dois no pulmão esquerdo. Cada brônquio supre um lobo pulmonar. Esses brônquios lobares dividem-se diversas vezes, dando origem a brônquios menores, sendo os últimos ramos recebem o nome de bronquíolo. Cada um desses últimos penetra em um lóbulo pulmonar, onde se ramifica, formando de cinco a sete bronquíolos terminais. Cada um dos bronquíolos terminal dá origem à um ou mais bronquíolos respiratórios, os quais marcam a transição para a porção respiratória. Nesta, estão compreendidos os ductos alveolares, os sacos alveolares e os alvéolos.

Os brônquios primários, na sua porção extrapulmonar, possuem a mesma estrutura observada na traquéia. À medida que vai para a porção respiratória, observa-se uma simplificação na estrutura desse sistema de condutos. Essa simplificação é lenta e gradual, não havendo transição brusca. Sendo assim, pode-se dizer que a divisão da árvore brônquica em distintos segmentos possui valor apenas didático.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Árvores_brônquicas
http://corditecountryshownotes.wordpress.com/2009/11/23/lungs-smoking-and-cancer/
Histologia Básica – Luiz C. Junqueira e José Carneiro. Editora Guanabara Koogan S.A. (10° Ed), 2004.