Status Social

Por Ana Lucia Santana
O status é o espaço que o indivíduo preenche no universo social, do ponto de vista do juízo das pessoas que compõem o grupo. Ele abrange também a glória, a dignidade, o grau de importância social de um sujeito. Algumas atitudes humanas podem acarretar graves conseqüências sob o ângulo da vida em sociedade, pois dependendo de seu modo de agir o homem se torna portador de certas marcas que, socialmente, causam prejuízos à sua imagem.

O status social não é definido apenas pelas normas legais, mas também pelos valores e pelas diretrizes que orientam uma determinada sociedade. Assim, ele inclui vários atributos e atitudes sociais que pertencem à esfera comportamental, não somente ao universo das leis. Ele é atribuído quando não depende do potencial individual para ser adquirido, ou seja, o sujeito nasce com este status – quando se recebe, por exemplo, um cargo hereditário.

O status adquirido requer do indivíduo um dispêndio de energia pessoal para ser conquistado. Ele deve exercer sua aptidão, seu saber, sua inteligência, para rivalizar com seus companheiros de jornada e vencê-los, conquistando assim a posição social que almeja. Assim, pode-se dizer que o status é também fruto de uma competição entre pessoas e associações, dando origem à ascensão social.

Deve-se ter em vista, porém, que nem todos conseguem, mesmo com toda a mobilização de seu potencial, alcançar a vitória nesta batalha social. É comum, em nossos dias, ver pessoas despidas de méritos atingirem elevadas posições sociais, através de ardis e meios nem sempre confiáveis. Na sociedade ocidental, o status adquirido é o mais comum, pois ela é regida pela competição. Já em povos como o indiano, com seu sistema de castas, nas quais o indivíduo se conserva até a sua morte, o status atribuído é o mais importante.

Em todos os povos são habituais as diferenças sociais entre os homens. De uma forma ou de outra existe sempre uma hierarquia, mesmo que ela não seja tão explícita. As pessoas estão cercadas por uma aura que determina seu grau social, não só o atribuído, mas também o adquirido. Seu sexo, sua faixa étnica, sua religião, sua ideologia política, sua profissão, entre outros, definem o nível de discriminação que o indivíduo irá sofrer ou não; as oportunidades que ele receberá e aquelas que deixará de obter; as dificuldades do caminho, enfim, seu status social.

A sociedade concede aos indivíduos o status social almejado, mas não sem exigir algo em troca. Ela requer da pessoa o desempenho de uma atribuição, ou seja, de um certo papel social, ao qual esta deve corresponder, à altura das expectativas do grupo. Quanto maior o status social, maior a responsabilidade do sujeito, e as respectivas cobranças sociais.