Transporte Rodoviário

Por Fernando Sirugi
As rodovias foram à primeira forma de transporte organizado criado pelo homem. As estradas mais antigas que se conhece foram encontradas nas áreas aonde se desenvolveram os antigos Impérios Chinês e Romano.

Com o inicio da Revolução Industrial, no final do século XVIII, as rodovias sofreram uma rápida melhoria na Europa. Nessa época, o inglês MacAdam foi o responsável pela invenção de uma forma de pavimentação que revolucionou a construção de estradas na época.

Hoje há no mundo quase 13 milhões de quilômetros de rodovias pavimentadas, sendo mais de 25% dessa extensão no Estados Unidos. O Brasil situa-se entre os dez maiores países do mundo em extensão de rodovias pavimentadas, mais um dado interessante é que no Brasil o transporte rodoviário é o mais utilizado, um dos motivos para que isso possa acontecer é o baixo custo para as rodovias serem implantadas, aliado a rapidez de sua construção.

A densidade da rede de transportes de cada região é relativamente proporcional à concentração de pessoas e ao volume de trocas que suas economias realizam. Em áreas muito povoadas e com grandes desenvolvimentos de atividades econômicas, as ligações entre certas partes da região acabam sendo duplicadas, enquanto outras mais vazias não dispõem de nenhuma ligação ou têm, no Maximo, uma ligação precária. Outra forma de analisar essa distribuição regional irregular é pela análise da quantidade de rodovias disponíveis: o Sudeste tem, sozinho, mais de 54 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, e equivale a um terço do total nacional.

Embora a concentração de cargas e passageiros nas rodovias brasileiras seja uma das mais elevadas do mundo, o País possuía apenas 161 mil quilômetros de estradas pavimentadas em 1999, enquanto a França país quinze vezes menor que o Brasil, tinha 811 mil quilômetros. Por outro lado, se compararmos a extensão da nossa malha rodoviária com a do Estados Unidos, país com uma dimensão territorial parecida com a do Brasil, poderemos observar que temos vinte e duas vezes menos rodovias que os norte americanos.

Atualmente a privatização das rodovias, está sendo encarada como uma saída para o setor. Segundo a OCDE (Organization for Economic Cooperation and Development) é o usuario, e não o contribuinte em geral, que deve pagar o custo de transporte, cabendo a cobrança de taxas para o pagamento da manutenção da malha rodoviária. De acordo com essa idéia, o Brasil passou, desde 1993, a privatizar suas rodovias federais, procurando arrecadar recursos para a conservação das demais estradas brasileiras.

Uma pesquisa feita recentemente pelo IBGE comprovou que o transporte rodoviário nunca saiu do topo do meio de transporte mais utilizado no Brasil, e que com o passar dos anos a tendência é apenas crescer.

Fontes
Livro Texto de geografia, TITOMARCIO Garavello