República Togolesa

A República Togolesa (em francês: Togolaise République) é um país localizado na África Ocidental, com um território de 56.785 km², dimensões um pouco menores que as do estado do Espírito Santo. A população do país é de cerca de 6.771.993 milhões e tem como capital e principal cidade Lomé. O Togo divide suas fronteiras com Gana a oeste, Burkina Faso ao norte, Benim a leste e a Baía de Benim ao sul. A língua oficial é o francês, apesar da população togolesa utilizar diversas línguas regionais na comunicação diária, como por exemplo o Iorubá, o Fon, o Kabiyé e o Ewe. A maioria dos habitantes do país, 51%, seguem crenças tradicionais africanas, além da presença de 29% de cristãos e 20% de seguidores da religião muçulmana.

A população deste pequeno país africano se divide em mais de 20 grupos étnicos, sendo os dois principais os Ewe, habitantes do Sul e os Kabiyé no Norte. A distribuição de sua população é muito desigual devido às variações de solo e terreno. A população concentra-se geralmente no sul e ao longo da rodovia norte-sul, a principal via a ligar o litoral togolês aoSahel. Os grupos étnicos da região costeira, em especial os Ewe (cerca de 21% da população), são em sua maioria funcionários públicos, profissionais e comerciantes, devido em parte à administração colonial que os treinou para ocuparem tais postos. Já os Kabiyé (16% da população) vivem em terras marginais e tradicionalmente emigraram para o sul de sua área de origem na região de Kara, em busca de emprego. Este grupo é predominante entre as forças militares e policiais do país dominando estes serviços há bastante tempo.

As escolas primárias públicas ensinam como línguas de instrução o francês combinado a uma língua local, de acordo com a etnia do indivíduo, em especial kabiyé ou ewe. A língua inglesa, presente na vizinha Gana, é ensinada nas escolas secundárias do Togo. Como resultado, muitos togoleses, em geral no sul e ao longo da fronteira com Gana, dominam também o idioma.

A história do Togo inicia-se a partir da chegada dos Ewe, por volta do século XII. No século XV os portugueses começam a sistemática exploração da área, e estabelecem um lucrativo comércio de escravos, o que rende à área o nome de Costa dos Escravos. Em busca da construção de seu próprio império colonial, a Alemanha oficializa seu controle sobre a chamada Togolândia em 1884. Com a dissolução do império ultramarino alemão, o Togo será administrado por meio de um mandato da liga das Nações, executado em conjunto por França e Grã-Bretanha. Ao momento da independência de Gana, a parte do Togo administrada pelos britânicos decide se juntar a este país, enquanto que a parte francesa torna-se independente a 27 de abril de 1960 como a República Togolesa. Uma série de

instabilidades domésticas irão tornar a história deste jovem país bastante conturbada. Durante 38 anos, desde 1967, o coronel Etienne Eyadema governará o país. Seu mandato é o mais extenso entre todos os ditadores do continente africano. Ainda hoje o Togo luta para se livrar dos seus chefes de perfil ditatorial e implantar uma verdadeira democracia.

Bibliografia:
Togo. Disponível em <http://www.portalbrasil.net/africa_togo.htm>. Acesso em: 15 abr. 2012.

Background note: Togo(em inglês). Disponível em <http://www.state.gov/r/pa/ei/bgn/5430.htm>. Acesso em: 15 abr. 2012.

Arquivado em: África