Boko Haram

Popularmente conhecido como Boko Haram, o grupo extremista islâmico Jama'atu Ahlus Sunnah Lidda Awati Wal Jihad tem chamado a atenção da mídia mundial nos últimos dias. O grupo atualmente liderado por Abubakar Shekau, apontado pela BBC de Londres como um ‘Gângster Intelectual’, é o responsável pelo sequestro de centenas de meninas em Chibok, cidade interiorana no Estado de Borno, no noroeste da Nigéria, área central das investidas do grupo. Porém, por conta da proximidade geográfica, os ataques promovidos pelo Boko Haram vão além das fronteiras nigerianas atingindo assim algumas regiões do Níger e também de Camarões.

Abubakar Shekau, líder do grupo terrorista. Foto: divulgação.

Abubakar Shekau, líder do grupo terrorista. Foto: divulgação.

O sequestro de adolescentes nigerianas, garotas que em sua maioria possuem idades entre 16 e 18 anos, foi mais um ataque contra a ‘educação nos moldes ocidentais’, prática rechaçada por praticamente toda a classe extremista mulçumana. Para estes, as atividades políticas ou sociais semelhantes às práticas ocidentais são proibidas, sobretudo quando o assunto é educação para mulheres. Esta última investida do grupo terrorista se transformou em manchete de todos os grandes veículos de comunicação mundial. Diversas autoridades internacionais têm expressado suas opiniões acerca do acontecido, e via internet vêm aderindo a uma espécie de campanha intitulada ‘Bring Back Our Girls’ (#BringBackOurGirls), que em uma tradução livre para o português quer dizer ‘Tragam nossas garotas de volta’. Especialistas no assunto têm dito que essa é a investida terrorista de maior repercussão desde o 11 de Setembro de 2001.

Na Nigéria, bem como em vários outros países africanos, o sexo feminino é visto como a chave para elevar os padrões de vida para as próximas gerações. O país abarca um grande contraste entre o norte muçulmano e o sul majoritariamente cristão. Em alguns estados do norte, cerca de menos de 5% das mulheres sabem ler e escrever, enquanto em algumas áreas do sul mais de 90% são alfabetizadas. Por isso o grupo tem ampliado seu foco em comunidades escolares. Em março de 2012, cerca de doze escolas públicas de Maiduguri, capital e a maior cidade do estado de Borno, foram incendiadas, o que por sua vez, por conta do medo, promoveu o afastamento milhares de crianças e adolescentes das salas de aulas.

Desde seu renascimento em 2009 o Boko Haram tem seguido uma trajetória ascendente. Nos últimos anos, tem adotado metas cada vez mais ambiciosas, como a de transformar a Nigéria em um estado islâmico. Para isso, tem incentivado os muçulmanos a viverem de modo parecido às civilizações muçulmanas mais antigas e vem ampliando sua área de atuação chegando a até mesmo atacar alvos em na capital Abuja, localizada na região central do país.

Publicado em 12/05/2014

Ler também

Referências
BBC. Profile of Nigeria's Boko Haram leader Abubakar Shekau. Disponível em < http://www.bbc.com/news/world-africa-18020349 >
FBI. Terrorism. Disponível em < http://www.fbi.gov/about-us/investigate/terrorism >
TRAC. Boko Haram. Disponível em < http://www.trackingterrorism.org/group/boko-haram >

Arquivado em: Atualidades