A mulher de Ló

A mulher de Ló é conhecida na bíblia por ter virado uma estátua de sal. Essa história é relatada em Gênesis, primeiro livro da bíblia. Ló, sobrinho de Abraão, habitava em Sodoma após ambos concordarem que seria melhor as famílias separarem-se. Os pastores de seu povo estavam se desentendendo sobre como administrar seus pertences. Foi uma separação amigável, onde Abraão, apesar de ser o mais velho (o costume da época era respeitar a autoridade do ancião) pediu que Ló escolhesse o lado que preferia seguir e foi para o oposto. Ló escolheu a direção de Sodoma, após avistar as campinas do Jordão.

Após adaptarem-se à região escolhida, onde as filhas de Ló chegaram a noivar-se, houve uma guerra entre reis que acarretou na captura e prisão de Ló. Assim que teve notícia disso, Abraão enviou trezentos e dezoito homens de maior competência para resgatar o sobrinho, com sucesso.

Pouco depois o Senhor anunciou a Abraão a destruição de Sodoma e Gomorra, por serem cidades dominadas pela homossexualidade, onde a imoralidade sexual imperava. Abraão intercedeu pelo povo diversas vezes junto ao Senhor, pedindo que livrasse toda a cidade da destrição em favor de ao menos dez justos residentes nela. O Senhor respondeu que não a  destruiria por amor dos dez, caso houvesse. O fato de ter sido posteriormente destruída por fogo e enxofre que caíam do céu nos faz deduzir que não haviam sequer dez sodomitas que estavam corretos de acordo com os princípios do Senhor.

De acordo com as escrituras sagradas, Ló recebeu a visita de dois anjos e os hospedou. Pouco antes de se deitarem, os anjos orientaram a Ló que juntasse a família a partisse, porque a cidade estava prestes a ser destruída.

O nível de promiscuidade relatado nessa passagem indica que neste momento um grupo de homens bateu a porta da casa, e disseram a Ló assim que os atendeu, que queriam “conhecer” (ter intimidade sexual) com os homens que viram entrar naquela casa. A fim de acalmar os homens, Ló ofereceu suas duas filhas virgens para que eles fizessem o que bem entendessem, e pediu que não fizessem nada com os homens pois eram anjos. O grupo não concordou e tentou arrombar a porta.

Foi neste momento, os dois anjos puxaram Ló devolta para dentro da casa, e cegaram os homens do lado de fora para que não vissem a porta. Em seguida orientaram a famíla a partir, e disseram para que, no momento da fuga não olhassem para atrás, a fim de não virarem estátua de sal.

Os noivos das filhas não quiseram ir, e partiam Ló, sua esposa e as duas filhas. Consta que sua esposa olhou para atrás e imediatamente virou uma estátua de sal. E Ló passou a viver em uma caverna, com as filhas.

O fato de ter enviado anjos a casa de Ló e indica que o Senhor poupou a família de Abraão que habiatava naquela cidade. E no discurso cristão, a “Mulher de Ló” cujo nome próprio não é citado, é uma referência constante quando o tema é o agir na desobediência; ou quando olhar para atrás significa ao cristão lembrar o passado, num tempo de pecado, de quando não havia entendimento da Palavra ou respeito pelos princípios do Senhor.  

Bibliografia:
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia