A queda das muralhas de Jericó

A história sobre a queda das muralhas de Jericó está relatada na bíblia, no velho testamento.

Depois que os israelitas conseguiram sair do Egito passaram quarenta anos no deserto na expectativa de tomar posse da terra prometida, devido a parte do povo apresentar uma série de resistências, murmurações e dúvidas quanto a fé em Deus, chegando a irar e adorar outros deuses, chegando até mesmo a sentir saudades de quando eram escravos. Apenas dois desses homens, dois dos que haviam saído do Egito, encontraram graça aos olhos do Senhor e contemplaram a conquista da terra, são eles Calebe e Josué. Foi o próprio Deus que orientou Moisés, antes de sua morte, nas instruções ao povo (discursos que estão registrados no livro de Deuteronômio) e na escolha de Josué como seu sucessor para liderar a posse da terra.  

O Senhor prometeu a Josué que seria com ele e o orientou a todo o momento. Todos os homens de guerra do povo deveriam rodear a cidade, cercando-a por seis dias seguidos. Com sete sacerdotes levando sete buzinas de chifres de carneiros adiante da arca da aliança e no sétimo dia que estivessem rodeado a cidade, esses sacerdotes deveriam tocar as buzinas. Dessa forma, tocando as buzinas de carneiro todo o povo deveria gritar, dando um grande brado, para que então o muro da cidade viesse a desmoronar. Assim, o povo subiria por ele e tomaria posse da cidade. Josué enviou espiões para checarem a cidade e teve um retorno positivo, continuando o plano.

Assim procedeu o povo e na madrugada do sétimo dia se levantaram, tocaram os sacerdotes as buzinas, e o povo gritou. As muralhas caíram. O povo tomou posse de tudo que havia nela, somente Raabe, uma prostituta da cidade, que havia escondido os mensageiros enviados antes, para espionar a terra e toda sua família foi poupada. Além de ajudar os israelitas, a atitude de abrigar os espiões indicava que ela estava disposta a ajudar os deuses pagãos que o povo de Jericó servia. Fora isso, tudo povo de Jericó foi derrotado ao fio da espada. Tudo que havia na cidade foi queimado, e somente a prata, o ouro, e os vasos de metal e de ferro ficaram, a fim de serem tesouros da casa do Senhor.

Após a conquista de Jericó, Josué os esconjurou dizendo “Maldito diante do Senhor seja o homem que se levantar e reedificar esta cidade de Jericó, sobre seu primogênito a fundará, e sobre o seu filho mais novo lhe porá as portas” (Js 6,26:27). E com isso Josué conquistou reconhecimento e se espalhou por toda a terra a fama de que o Senhor era com ele.

No contexto cristão, a queda das muralhas de Jericó após sete dias de peleja e do grito do povo, é uma referência de incentivo à persistência e união do povo. E a certeza de que o Senhor ouve e responde ao clamor dos seus.

Bibliografia:
http://www.estudosdabiblia.net/d151.htm
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia