A Transfiguração

A transfiguração é uma passagem bíblica lembrada com frequencia entre os cristãos, quando o assunto é a glória de Deus se manifestando em seu filho Jesus.

De acordo com as escrituras, pouco tempo antes da crucificação, Jesus chamou Pedro, João e Tiago, e subiu ao monte para orar. E, estando ele orando, a aparência de seu rosto transfigurou-se, e a sua roupa ficou muito branca e resplandecente. Consta que ao seu lado estavam falando com ele dois homens, que eram Moisés e Elias. Eles haviam aparecido em glória, e falavam da sua morte, a qual havia de se cumprir em Jerusalém.

Em seguida Pedro e os que estavam com ele, por estarem com sono, adormeceram, mas quando despertaram, viram a sua glória e aqueles dois homens que estavam com Jesus. Com isso, Pedro foi até Jesus e disse a Ele: “Mestre, bom é que nós estejamos aqui, e façamos três tendas: uma para ti, uma para Moisés, e uma para Elias” (Lc 9:33), não sabendo porém o que dizia... veio uma nuvem que os cobriu com a sua sombra. Eles entraram na nuvem e temeram. Ouviram uma voz que saiu da nuvem e dizia: “Este é o meu amado Filho, meu eleito, a ele ouvi” (Lc 9:35). Após terem ouvido a voz, e passado a nuvem, Jesus foi encontrado só. Eles se calaram por aqueles dias a pedido do próprio Jesus, não contando a ninguém nada do que tinham visto.

Moisés foi o líder que libertou os israelitas da escravidão egípcia e entregou a Lei. Elias, o tesbita de Gileade, foi um profeta do século IX a.C. lembrado por sua vitória no encontro com os 450 profetas de Baal, e como Elias representava os profetas esperava-se que ele retornasse antes do final dos tempos. O próprio Jesus mencionou em certa passagem que “João Batista era Elias”, ou seja, o povo sabia por meio das profecias que “Elias voltaria” para anteceder o Cristo, o Messias.

Outras passagens do evangelho afirmam que e essa profecia se realizou por meio de João Batista, que batizou o povo com água para arrependimento, a fim de preparar o caminho para a chegada de Jesus, a batizar o povo com Espírito Santo e com Fogo. João Batista havia afirmado para o povo que “Eu vos batizo com água, para arrependimento, mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias eu não sou digno de levar” (Mt 3:11). Inclusive, João Batista, foi questionado sobre Jesus estar se “destacando” mais que ele entre o povo, exercendo a boa obra com autoridade para perdoar pecados, cura e libertação, etc e João Batista respondeu “Importa que Ele cresça e eu diminua” (Jo 3:30).

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia