Diná

Diná era filha de Jacó e Lia, e sua história está relatada na bíblia, no capítulo trinta e quatro do livro de Gênesis, cuja autoria é atribuída pela tradição ao profeta Moisés.

De acordo com as escrituras, Diná havia saído de casa quando Siquém, filho do haveu chamado Hamor e que era um príncipe daquela terra, a avistou e tomou-a, deitando-se com ela, humilhando-a. A palavra “tomou-a” é a linguagem utilizada na bíblia para expressar a violência sexual sofrida pela moça.

Embora Siquém seja relatado de forma um tanto mais gentil no restante da história, o dano causado pela violência foi algo irreversível. Segundo as escrituras, Siquém  apegou-se com Diná, apaixonou-se e falava afetuosamente a ela. Por esse motivo, Siquém procurou seu pai, o rei Hamor e pediu ajuda para casar-se com ela.

A esta altura, auando Jacó ouviu que Diná, sua filha, havia sido violentada, aguardou o retorno dos seus filhos que estavam cuidando do gado no campo e maneteve-seem silêncio. Nestetempo, Hamor foi falar com  Jacó com o objetivo de reparar o erro cometido pelo filho.

Quando os irmãos de Diná voltaram do campo, sabendo do ocorrido, se entristeceram muito... pois de fato, Siquém cometeu uma desonra, um ato de insensatez em Israel, deitando-se com Diná forçosamente. Consta que Hamor disse a Jacó na presença deles “A alma de Siquém, meu filho, está enamorada da vossa filha; dai-lha, peço-vos, por mulher; E aparentai-vos conosco, dai-nos as vossas filhas, e tomai as nossas filhas para vós; E habitareis conosco; e a terra estará diante de vós; habitai e negociai nela, e tomai possessão nela” (Gn 33,8:9) e disse ainda, se dirigindo aos irmãos de Diná “Ache eu graça em vossos olhos, e darei o que me disserdes; Aumentai muito sobre mim o dote e a dádiva e darei o que me disserdes; dai-me somente a moça por mulher” (Gn 33, 11:12).

Os irmãos questionaram a atitude de Siquém, e falaram enganosamente a Hamor dizendo que somente concordariam com o pedido dele, dando-a Diná se todos os seus homens desde os servos até o próprio rei concordasse em fazer a circuncisão (um procedimento de caráter cirúrgico, que era costume entre o povo de Israel, como um sinal da aliança com Deus). Hamor concordou com a condição imposta por eles, e comunicou isto aos seus súditos.

E assim procederam, foi circuncidado todo o homem daquele povo. E aconteceu que, ao terceiro dia, quando passavam pelo momento de maior dor, Simeão e Levi (dois filhos de Jacó e irmãos de Diná), tomaram cada um a sua espada, e entraram na cidade do rei Hamor, e mataram todos os homens, inclusive Siquém e troxeram de volta Diná.

Consta que Jacó, quando soube da artitude de seus filhos, não a aprovou. Entretanto, não havia nada a ser feito, pois os seus filhos já haviam agido a fim de revidar a violencia sofrida pela irmã deles. Então, Jacó partiu daquela terra e ergueu um altar em Betel, renovando a aliança com Deus, mantendo a sua família como uma unidade social separada.

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia