Evangelho de Marcos

O Evangelho de Marcos

“E trouxeram-lhe um surdo, que falava dificilmente; e rogaram-lhe que pusesse a mão sobre ele. E, tirando-o à parte, de entre a multidão, pôs-lhe os dedos nos ouvidos; e, cuspindo, tocou-lhe na língua. E, levantando os olhos ao céu, suspirou, e disse: Efatá; isto é, Abre-te. E logo se abriram os seus ouvidos, e a prisão da língua se desfez, e falava perfeitamente” (Mc 7,32:35)

O Evangelho de Marcos faz parte do Novo testamento e é curiosamente o mais antigo e mais curto de todos os evangelhos, e ao longo de dezesseis capítulos, podemos identificar que foi escrito provavelmente antes da destruição do templo de Jerusalém por volta de 70 DC. O testemunho dos primeiros cristãos deixa poucas dúvidas de que Marcos tenha sido o autor e por isso o livro leva seu nome.

Sabe-se que sua mãe também se chamava Maria, e ele era primo de Barnabé. Embora não tenha sido um dos doze discípulos escolhidos por Jesus, ele testemunhou grande parte dos fatos ocorridos na igreja primitiva, especialmente em Jerusalém. Inclusive, Marcos viajou com Paulo e Barnabé e passou longo período com Pedro que se referia a ele como “meu filho”.

Marcos anuncia a boa nova sobre Jesus Cristo, dando ênfase à sua atuação constante e sua autoridade em toda a terra. Jesus vai de lugar a outro anunciando a vinda do reino de Deus, ensinando multidões, curando e fazendo milagres.

Este Evangelho relata fatos extremamente relevantes para os cristãos, demonstrando que Jesus era o Filho de Deus, o Messias profetizado no Velho Testamento. Entre tais fatos estão: Jesus acalmando a tempestade; andando sobre as águas; agindo sobre a figueira cujas raízes secaram; entre outros milagres de cura de muitos como a sogra de Pedro, o homem paralítico, a mulher que sóbria a doze anos com uma hemorragia e o mudo e surdo, e o poder de Jesus sobre a morte ao trazer de volta a vida a filha de Jairo.

O ápice do livro fala sobre a autoridade de Jesus vinda de Deus. Ele é o Filho do Homem, aquele que Deus escolheu e enviou para ser o Salvador de todos “Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos” (Mc 10:45).  Portanto Ele tem autoridade para expulsar demônios, curar doentes e perdoar pecados.

Este evangelho começa com o batismo de Jesus por João Batista no rio Jordão e termina com a ressurreição de Jesus Cristo “E, passado o sábado, Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo. E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol. E diziam umas às outras: Quem nos revolverá a pedra da porta do sepulcro? E, olhando, viram que já a pedra estava revolvida; e era ela muito grande. E, entrando no sepulcro, viram um jovem assentado à direita, vestido de uma roupa comprida, branca; e ficaram espantadas. Ele, porém, disse-lhes: Não vos assusteis; buscais a Jesus Nazareno, que foi crucificado; já ressuscitou, não está aqui; eis aqui o lugar onde o puseram” (Mc 16, 1:6)

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia