Filipenses

"Tudo posso naquele que me fortalece" (Fp 4:13)

A autoria deste livro é atribuída ao apóstolo Paulo, provavelmente com a ajuda de Timóteo, por volta de 60 e 63 DC. Esta Epístola foi escrita aos Filipenses enquanto Paulo ainda era prisioneiro de Nero, e estava na prisão em Roma. Quando esteve em Filipos, onde visitou em sua segunda viagem missionária, havia cerca de trinta anos após a ascensão de Cristo, e em torno de dez anos depois de Paulo ter pregado em Filipos pela primeira vez, e ocorreu que Lídia, o carcereiro e sua família foram convertidos a Cristo. E alguns anos depois, a igreja já estava estruturada, como demonstra o inicio deste se referindo a cargos da igreja “Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, inclusive bispos e diáconos que vivem em Filipos” (Fp 1:1).

No contexto de prisão, após diversos testemunhos do autor com relação a enfrentar obstáculos para anunciar o amor e a ressurreição de Jesus, era natural que este livro falasse sobre viver em Cristo, superando os sofrimentos com força e alegria que vem do Senhor"Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus" (Fp 4,6:7).

Inclusive, esta carta é destinada a um grupo de cristãos mais próximos, afetuosos a Paulo e, muito pouco é falado sobre erro de doutrina ou conduta. Sobretudo, o intuito desta epístola era agradecer uma oferta monetária da igreja para o apóstolo que foi levada a ele por um dos seus membros chamado Epafrodito “Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade. Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece. Todavia fizestes bem em tomar parte na minha aflição. E bem sabeis também, ó filipenses, que, no princípio do evangelho, quando parti da macedônia, nenhuma igreja comunicou comigo com respeito a dar e a receber, senão vós somente; Porque também uma e outra vez me mandastes o necessário a tessalônica. Não que procure dádivas, mas procuro o fruto que cresça para a vossa conta.

Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância. Cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus” (Fp 4,10:18).

 Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia