Gideão

A vida de Gideão está relatada na bíblia, no livro de juízes. Ele foi o juiz que libertou os israelitas das mãos do povo de Midiã, chamados midianitas (este povo oprimia Israel fazia sete anos, e roubava suas colheitas e animais,  inclusive, já haviam matado o irmão de Gideão quando invadiram a região onde vivia chamada Tabor).

Quando recebeu seu chamado, ele estava no campo, e um anjo falou com ele:"Então veio o anjo do Senhor, e assentou-se abaixo do carvalho, que está em Ofra, que pertencia a Joás, abiezrita; e Godeão, seu filho, estava malhando o trigo no lagar, para o pôr a salvo dos midianitas. Então, o anjo do Senhor lhe apareceu e disse: — O Senhor é contigo, homem valente” (Jz 6, 11:12)

De acordo com as escrituras Gideão teria perguntado ao Senhor, se ele estava com o povo de Israel, por que permitia acontecer todos os ataques. E onde estariam as bênçãos  maravilhosas que os antepassados contaram sobre o que Senhor havia feito, tirando o povo da escravidão do Egito. Para Gideão, havia uma sensação de que Ele os havia abandonado, entregando-os aos midianitas.

 Mesmo com a insatisfação de Gideão, o Senhor ordenou que ele agisse com força e livrasse o povo de Israel dos midianitas, pois era Ele mesmo, o próprio Deus que estaria com ele. Neste momento Gideão ainda questionou como poderia fazer isso porque sua família era a mais pobre da tribo de Manassés, e ele era a pessoa menos importante entre todos. Como resposta, o Senhor o disse que ele conseguiria sim, porque seria ajudado e fortalecido por Ele. E que ele ainda esmagaria todos os midianitas como se eles fossem um só homem.

Gideão aceitou o chamado do Senhor, oferecendo uma oferta a Ele, pedindo que aguardasse o preparo. E assim foi feito. Ele cozinhou um cabrito e fez pão sem fermento com mais ou menos dez quilos de farinha. Voltou ao lugar onde estava o anjo e queimou a oferta diante dele, então o anjo desapareceu.

Gideão convocou homens para se juntarem a ele e viu que estava se aproximando o tempo para a batalha. Teve medo que Deus não estivesse com ele, pedindo um sinal: colocou um pouco de lã no lugar onde estava malhando o trigo e, se de manhã somente a lã estivesse molhada e tudo ao redor estivesse seco, ele estaria certo de que seria usado por Deus para libertar Israel, e assim aconteceu. Ainda assim, teve receio de não conseguir e pediu novo sinal ao contrário: que somente a lã ficasse seca e tudo em volta ficasse molhado. Assim foi feito.

Estavam em grupo de trinta e dois mil homens, porém o exército de midianitas era maior e ainda tinham medo. Com isso, o Senhor ordenou que Gideão ordenasse que os covardes fossem embora. Ficaram somente dez mil homens. Com objetivo de garantir ao povo que seria com eles, o Senhor ainda reduziu a quantidade de homens, dizendo a Gideão que pedisse a todos para beberem água. Como sinal, aqueles que levassem a água até a boca com a mão iriam para a guerra, mas os que se ajoelhassem para beber seriam descartados, devendo voltar para suas casas. Sobraram trezentos homens.

Orientados por Deus, fizeram o seguinte: cada um dos trezentos levou uma trombeta e um jarro de barro com uma tocha, de madrugada, cercaram o acampamento midianita. Todos tocaram as trombetas e quebraram os jarros quando ele fez um sinal.  Nesta hora, o barulho os assustou de forma que brigaram entre si, achando ser um ataque inimigo.

Gideão foi considerado um herói, mas recusou esse título. Humildemente aceitou apenas um par de brincos de ouro, que estava entre os objetos conquistados na “guerra” para ofertar o material à obra do Senhor.

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.

Arquivado em: Bíblia