I e II Reis

Os dois livros de Reis mostram que cada rei é julgado de acordo com a sua fidelidade a Deus, ao passo que a desobediência e idolatria a imagens levam ao fracasso de toda nação, a fidelidade de seu rei leva ao progresso.

 I Reis

Salomão ora ao Senhor: “Dá, pois ao teu servo coração compreensivo para julgar a teu povo para que prudentemente discirna entre o bem e o mal, pois quem poderia julgar a este grande povo?” (IRs 3:9) 

 O livro de I Reis traz informações sobre um contexto que começou no livro de Samuel, que é a história dos reis israelitas. Samuel foi o último dos juízes, Saul foi o primeiro rei de Israel e Davi o segundo. Após a morte da Davi, que reinou em Jerusalém, seu filho Salomão herda o trono e um dos destaques de seu reinado foi construir um grande templo na região. Conhecido nos dias atuais como “Templo de Salomão”. Salomão é constantemente lembrado no meio cristão como um rei de grande sabedoria, e foram escritos por ele boa parte dos Salmos, e Provérbios. A repercussão da sabedoria de Salomão foi tão grande que ele recebeu a visita da Rainha de Sabá, que foi pessoalmente conhecer sua forma de governar e concluiu que verdadeiramente a sabedoria dele era ainda maior do que como diziam os rumores de sua região.

Ao longo de 22 capítulos, neste primeiro livro surgem os profetas de Deus, e Elias se destaca entre eles por tamanha fé, e coragem, inclusive discutindo com os profetas de Baal. Foi Elias que orou e não choveu por longo período, e foi também após a oração de Elias que voltou a chover na região.

II Reis

 “Então, o Anjo do Senhor disse a Elias: desce com este, não temas. Levantou-se desceu com ele o rei” (II Rs 1:15) 

Este livro pode ter uma espécie de divisão, pois relata a história de dois reinos, no Norte e do Sul. O primeiro com a queda de Samaria e o segundo coma conquista de Jerusalém pelo rei Nabucodonosor. A queda dos reinos de Israel acontece porque seus reis haviam sido infiéis com os principio do Senhor, deixando toda a nação vulnerável.

Ainda com a derrota de Jerusalém, o livro traz passagens de grande significado para os cristãos como a viúva que teve seu azeite multiplicado pelo profeta Elias, Naamã que fora curado de uma lepra após mergulhar sete vezes no rio, como orientou o profeta Eliseu (discípulo e sucessor de Elias, tendo recebido seu manto antes que ele fosse levado por uma carruagem de fogo).

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia