Jesus e a entrada triunfal em Jerusalém

“Hosana ao Filho de Davi, bendito o que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas!” (Mt 21: 9).

De acordo com as escrituras, quando se aproximaram de Jerusalém, e chegaram a Betfagé, ao Monte das Oliveiras, Jesus enviou dois discípulos até uma aldeia que estava em frente a eles, onde encontrariam uma jumenta presa, e um jumentinho com ela, e disse a eles que a trouxessem. Disse ainda que, se alguém dissesse alguma coisa, poderiam responder que o Senhor precisa deles e logo os enviará.

Consta que isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito por um dos profetas, que disse: “Dizei à filha de Sião: Eis que o teu Rei aí te vem, Manso, e assentado sobre uma jumenta, E sobre um jumentinho, filho de animal de carga” (Mt 21:4-5).

Os discípulos foram e fizeram como Jesus lhes ordenou. Trouxeram a jumenta e o jumentinho, e sobre eles puseram as suas vestes, e fizeram Jesus assentar em cima. E muita gente estendia as suas vestes pelo caminho, e outros cortavam ramos de árvores, e os espalhavam pelo caminho. Uma multidão que ia adiante, e a que seguia, clamava, dizendo: “Hosana ao Filho de Davi, bendito o que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas!” (Mt 21: 9).

Ainda de acordo com as escrituras, entrando Jesus em Jerusalém, toda a cidade se alvoroçou, perguntando quem era ele. E uma multidão dizia que era Jesus, o profeta de Nazaré da Galiléia.

Para alguns estudiosos esta entrada triunfal seria um ponto culminante da oferta do reino por Jesus, porque este momento ocorreu na semana antes da crucificação. Foi o profeta Zacarias que havia anunciado que o rei de Israel viria humilde, montado num jumento: “Alegra-te muito, ó filha de Sião, exulta ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta” (Zc 9:9).     

Por causa dessa referência o jumento tornou-se um animal associado ao Messias. Já o livro de Apocalipse demonstra que, quando o Cristo retornar em glória para estabelecer o seu reino, ele fará uma entrada militar real, montada num cavalo branco: “Vi um céu aberto e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça” (Ap 19:11).

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia