João Batista

“Eu vos batizo com água, para arrependimento, mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias eu não sou digno de levar” (Mt 3:11).

A história de João Batista é encontrada na bíblia, e está presente nos quatro evangelhos. Ele foi o profeta considerado pelos cristãos como precursor de Jesus Cristo, o Messias. Os pais de João Batista chamavam-se Zacarias (que era sacerdote) e Isabel (que era prima de Maria, a mãe de Jesus).

Estando Isabel grávida, a criança mexeu em seu ventre quando Maria chegou em sua casa, para visitá-la, e estando cheia do Espírito Santo, chamou Maria de bem-aventurada. Ao escolherem o nome do menino, queriam dar a ele o mesmo de seu pai, Zacarias, mas sua mãe aceitou. Seu pai estava mudo e escreveu o nome numa tabuinha concordando e assim foi definido a escolha do nome “João”. Assim que concordou com o nome ele voltou a falar, e muitos da cidade temeram ao saber deste ocorrido. Consta nas escrituras que João Batista era cheio do Espírito Santo desde seu nascimento, seu cabelo não conheceu a navalha, e ele não ingeriu bebida forte durante toda a sua vida.

De acordo com as escrituras, várias passagens do evangelho indicam João Batista como precursor do Messias, pois foi ele quem batizou o povo com água para arrependimento, a fim de preparar o caminho para a chegada de Jesus, que batizaria o povo com Espírito Santo e com Fogo. João Batista já havia afirmado para o povo que não era digno de sequer levar as sandálias daquele que viria, o Cristo. Inclusive, parte do povo questionou o profeta sobre Jesus estar se “destacando” mais que ele, fazendo obras maiores, com autoridade para perdoar pecados, cura e libertação, etc e João Batista respondeu “Importa que Ele cresça e eu diminua” (Jo 3:30).

Foi João Batista que, um tanto relutante, batizou Jesus com água, no Rio Jordão. Isso devido o fato de fato Jesus ser reconhecidamente a própria fonte de água da vida, e o próprio João Batista sabia disso. De acordo com o pensamento cristão, o batismo de Jesus foi realizado a fim de cumprir as promessas e para que seguissem o seu exemplo. Atualmente, por exemplo, durante a preparação de novos convertidos para o batismo, o Pastor Luzimar Poggianella esclarece que somente o batismo não garante a salvação, e sim que a salvação vem pela Fé em Cristo Jesus. O batismo na realidade faz parte do processo de salvação, complementando a convicção de morrer para o mundo e nascer para o Senhor, numa nova vida em Cristo.

João Batista foi preso ao afirmar que era ilícito o casamento do rei Herodes com a esposa de seu próprio irmão Filipe. Muitos concordavam com João Batista mais ninguém tinha coragem de manifestar a opinião contrária a atitude do rei, de roubar a mulher do irmão. De acordo com a Palavra, o rei gostava de ouvir João Batista falar, mas havia se agradado tanto de ver Salomé (filha de sua agora esposa) dançando que a prometeu dar o que ela quisesse... ela, por sugestão da mãe, pediu a cabeça de João Batista numa bandeja de prata. O rei entristeceu-se e para não voltar com sua palavra na frente de todos (o que seria humilhante para ele), atendeu ao pedido e deu ordens para a execução. E Jesus, recebido a notícia da morte de João Batista, retirou-se em lugar afastado para orar.

Bibliografia:

A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.

Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia