O milagre da multiplicação

“Nem sempre se sabe detalhes de um milagre, mas eu vou contar a história de um menino que um dia levantou bem cedo, e sua mãe lhe perguntou com medo ‘Aonde é que você vai?’ e o menino então respondeu: ‘O Mestre está a me chamar. Uma multidão vou ajudar alimentar’. Sua mãe lhe disse: isso é impossível, o que tem ai neste cestinho? E com muita fé o menino disse: Cinco pães e dois peixinhos”.

Este é um trecho da música “Cinco pães e dois peixinhos”, gravada pelo grupo “Quatro por um”. A multiplicação de pães e peixes foi um milagre realizado por Jesus, e mais de uma vez tem este ocorrido registrado na bíblia, entre os evangelhos de Mateus e Marcos.

A primeira vez teria alimentado cerca de cinco mil pessoas chamado de “milagre de cinco pães e dois peixinhos” e da segunda vez teria alimentado um número de quatro mil, e o chamado de “milagre dos sete pães e um peixe”.

De acordo com as escrituras, João consegue cinco pequenos pães e dois peixinhos, que um garoto tinha em mão, e os passa a Jesus que ora, e alimenta toda a multidão. Consta que quando Jesus soube da morte de João Batista, ele recuou solitariamente para um local em Betsaida, e uma multidão o seguiu. Em seguida, quando Jesus desembarcou e viu a multidão presente, ele teve compaixão do povo e curou ali muitos doentes.

Como já era noite, os discípulos chegaram até ele e o chamaram para partir, pois o lugar era deserto e o mais adequado seria dispensar a multidão, para que pudessem ir até as aldeias, e comprar alguma coisa para comer. Neste momento Jesus respondeu que não precisariam ir, pois dariam a eles o que comer.  Os discípulos retrucaram que só tinham cinco pães e dois peixes. Jesus o pediu os alimentos, olhou para o céu, agradeceu, e os multiplicou.

Assim que fez este milagre, Jesus ordenou ao povo que se sentasse na grama. De acordo com as escrituras todos comeram e se satisfizeram, sobrando ainda doze cestos com pedaços de pão, que foram recolhidos. E estavam ali os cinco mil homens, mulheres e crianças se alimentando.

Da segunda vez, também uma multidão seguia e partiu Dele a iniciativa de chamar os discípulos e dizer a eles que tinha compaixão do povo, porque há três dias estavam com Ele e não tinham que comer. Para não despedir-se deles em jejum, e que não passassem algum mal no caminho, novamente Jesus pediu que trouxessem o que tinham. No caso, sete pães e alguns peixes. Jesus pegou o alimento e agradeceu por eles, orou, e os multiplicou. E uma segunda vez o povo que o seguia comeu e se satisfez, sobrando sete cestos.

Bibliografia:
A Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia