Vale de ossos secos

“Sobre o vale de ossos secos parei, o Espírito soprou em mim e me ungiu, e uma grande multidão estava ali e apesar da morte eu vi ressurreição”.

A frase acima pertence a letra de uma música da cantora Fernanda Brum, e foi inspirada no capítulo trinta e sete de Ezequiel, um dos livros da bíblia.

De acordo com as escrituras o profeta Ezequiel foi levado em Espírito pelo Senhor, a um vale que estava cheio de ossos. O Senhor o fez passar em volta deles, que eram muito numerosos sobre a face do vale, e estavam sequíssimos.

Então o profeta ouviu “Filho do homem, porventura viverão estes ossos?” ao que respondeu “Senhor Deus, tu o sabes”. O diálogo ainda continuou, e o Senhor o disse para profetizar sobre os ossos, e dizer aos ossos secos que ouvissem a palavra do Senhor. Disse ainda que, Ele, o Senhor, faria entrar neles o espírito, e viveriam. De acordo com as escrituras, o Senhor colocaria sobre eles nervos e faria crescer carne e pele, e colocaria neles o espírito, e vivendo, saberiam que Ele é o Senhor.

O profeta profetizou exatamente como fora ordenado. Neste momento houve um ruído, enquanto ele profetizava e se fez um rebuliço, onde os ossos se achegaram, cada osso ao seu osso. O profeta olhava e via nervos surgindo sobre eles, e começou a crescer a carne, em seguida se estendeu pele sobre eles, entretanto não havia ainda o espírito.

Ainda segundo as escrituras, disse o Senhor ao profeta “Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize ao espírito: Assim diz o Senhor Deus: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam”. E assim foi feito. Com isso o espírito entrou neles, e viveram, e se puseram em pé, um exército grande em extremo.

Após o ocorrido o Senhor deu discernimento falando com o profeta que os ossos eram toda a casa de Israel, onde muitos diziam que seus ossos se secaram, e havia perecido a esperança deles. E o plano de Deus para seu povo era a restauração, dizendo “Eis que eu abrirei os vossos sepulcros, e vos farei subir das vossas sepulturas, ó povo meu, e vos trarei à terra de Israel. E sabereis que eu sou o Senhor, quando eu abrir os vossos sepulcros, e vos fizer subir das vossas sepulturas, ó povo meu. E porei em vós o meu Espírito, e vivereis, e vos porei na vossa terra; e sabereis que eu, o Senhor, disse isto, e o fiz, diz o Senhor”.

O Senhor ainda orientou a tomar a vara e estender a mão, ou seja, agir com autoridade, quando tomar a vara de José que esteve na mão de Efraim, e a das tribos de Israel, suas companheiras, e as ajuntar à vara de Judá, e fazer delas uma só vara, onde elas serão uma só na minha mão dele.

Em decorrência disso, seriam todos uma única nação na terra, nos montes de Israel, e um rei será rei de todos eles, e nunca mais seriam duas nações e nunca mais para o futuro se dividiriam em dois reinos. E não contaminariam com os seus ídolos, nem abominações, nem transgressões, e seriam livres do pecado e purificados.

Bibliografia:
Bíblia da Mulher: leitura, devocional, e estudo. 2 ed, Barueri SP: sociedade Bíblica do Brasil 2009.
Bíblia sagrada. Traduzida em português por João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil 2 ed Barueri SP, Sociedade Bíblica do Brasil, 1988, 1993.

Arquivado em: Bíblia