Benjamin Franklin

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

Benjamin Franklin foi um jornalista, editor, político, diplomata, cientista e inventor americano. Foi figura estratégica na liderança da Revolução Americana e assinou a “Declaração da Independência”, o “Tratado de Paz” e a “Constituição”; documentos essenciais na criação dos Estados Unidos da América.

Benjamin Franklin, em retrato pintado por
Joseph Duplessis, c. 1785.

Benjamin Franklin nasceu no dia 17 de janeiro de 1706 em Boston, Massachusetts, Estados Unidos. Filho do segundo casamento do comerciante Josiah Franklin com Abiah Folger. Franklin tinha 16 irmãos, aprendeu a ler sozinho e foi para a escola aos 8 anos. Após 2 anos, precisou parar os estudos para ajudar o pai no trabalho. Aos 12 anos Franklin foi trabalhar com seu irmão James na oficina gráfica responsável pela impressão do jornal semanal de Boston, o “The New-England Courant”. O garoto demonstrou interesse em escrever para a publicação, e como não seria permitido pelo irmão, começou a escrever com o pseudônimo de “Mrs. Silence Dogwood”, uma hipotética viúva acima de qualquer suspeita. Com o passar do tempo, James descobriu a manobra e os dois se desentenderam. Franklin fugiu para Nova York e depois se mudou para Filadélfia, onde começou a trabalhar como impressor em 1723.

Paralelamente ao emprego, estudava letras e ciências de maneira autodidata.

Em 1728 fundou uma editora com um amigo. Em 1729 adquiriu uma gráfica e iniciou a publicação do jornal “The Pennsylvania Gazette”, que posteriormente se tornaria o conhecido “Saturday Evening Post”. Em 1731 Franklin uniu-se com alguns amigos maçons e utilizando as próprias economias, fundaram a primeira biblioteca pública da Filadélfia. No ano de 1732 escreveu e publicou o “Almanaque do Pobre Ricardo”, um periódico instrutivo e humorístico reunindo provérbios que ganharam popularidade rapidamente. Assinado com o pseudônimo “Richard Saunders”, o almanaque fez grande sucesso e foi publicado até 1757.

O retorno financeiro possibilitou ao americano expandir as tipografias em mais 13 colônias americanas. Em 1740 Benjamin Franklin promoveu a fundação da Academia da Pensilvânia, que posteriormente se tornou a Universidade da Pensilvânia. O objetivo era fomentar a comunicação entre os interessados em ciências e possibilitar o compartilhamento de novos conhecimentos.

Observando o impacto que o empreendimento teve na colônia, também contribuiu para a criação do Corpo Voluntário de Bombeiros da Filadélfia, para a fundação da força policial e participou da reforma do sistema postal sendo nomeado Diretor dos Correios nas Colônias. Em 1741 inventou um aparelho à lenha para o aquecimento residencial. Em 1748 Franklin vendeu seu negócio, e após construir um patrimônio considerável, decidiu se dedicar aos estudos.

Aprendeu idiomas, instrumentos musicais e se aprofundou em pesquisas e experiências científicas. Focado em pesquisas sobre meteorologia e eletricidade, identificou as cargas positiva e negativa.

Em 1752, depois de muitas tentativas e alguns protótipos, Franklin inventou o para-raios.

Também foi de sua autoria a invenção das lentes bifocais.

Em 1754 representou a Pensilvânia no Congresso de Albany, apresentando um plano para união das colônias. Com habilidade para administrar e perfil conciliatório, Franklin foi enviado à Inglaterra em 1757 para mediar a disputa entre a Assembleia da Pensilvânia e a coroa britânica.

Permaneceu no país até 1762, onde ficou conhecido e admirado pela sua atitude diplomática. Em 1766 retornou a Londres como embaixador das colônias e em março de 1775, com a iminência da guerra pela independência, voltou para a Filadélfia. No ano seguinte Benjamin Franklin foi designado delegado no II Congresso Continental e integrou o comitê que redigiu e assinou a “Declaração da Independência” juntamente com Thomas Jefferson e Samuel Adams. Na sequência partiu para a França em busca de apoio para a Revolução Americana. Em 1783 assinou o “Tratado de Paz”, oficializando a aliança entre Estados Unidos e França. Franklin regressou para Filadélfia em 1785 com mérito, após ter conseguido a importante aliança militar francesa e ter conduzido os assuntos de interesse americano com maestria.

Em reconhecimento, recebeu posição meritória na independência americana como um dos delegados na elaboração da “Constituição Americana”, assinada em 1787. Após essas conquistas, envolveu-se na luta para conquistar a abolição dos escravos. Seu rosto estampa a nota de dólar americano de maior valor nominal, US$ 100.

Benjamin Franklin faleceu vítima de pleurite no dia 17 de abril de 1790 na Filadélfia, Estados Unidos.

Arquivado em: Biografias