Eugênia de Melo e Castro

A prestigiada cantora e compositora portuguesa Eugênia Melo e Castro nasceu em Covilhã, Serra da Estrela, no dia 6 de junho de 1958, batizada como Maria Eugénia Menéres de Melo e Castro. Seus pais, os escritores E. M. de Melo e Castro e Maria Alberta Menéres, lhe transmitiram a veia artística. Ela cursou Artes Gráficas em Lisboa, além de piano e canto. Mais tarde, optou pelos cursos de cinema e fotografia na London Film School.

Em 1977 ela inicia sua trajetória cultural no Grupo de Teatro Ânima, criado pela própria artista, com um projeto de poemas concretos levados ao palco. Entre 1977 e 1978 ela também atua na companhia teatral A Barraca, ao lado de Augusto Boal e Mário Viegas, entre outros. No cinema ela realiza seu ‘debut’ em 1978, no filme de estréia do diretor Joaquim Leitão, Prá Frentex. Ela também é dirigida, posteriormente, por Djalma Limonge Batista.

Eugênia também marca sua presença na TV, criando, compondo, produzindo e apresentando programas como Quadrados e Quadradinhos, no qual ela igualmente atua como cantora, ao lado do grupo Trovante, no início dos anos 80.

Em 1981 ela inicia seu intercâmbio musical com cantores e compositores brasileiros, criando uma parceria com o compositor mineiro Wagner Tiso. Deste encontro nasce o primeiro disco de Eugênia, Terra de Mel, do qual participam músicos brasileiros e de Portugal.

A cantora e compositora é reconhecida e premiada em Portugal por este trabalho e pelo seguinte, Águas de Todo o Ano. Eugênia estabelece um relacionamento artístico e pessoal significativo com alguns dos melhores artistas do Brasil, entre eles Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso e Milton Nascimento. Esta interação reflete nas criações que se sucedem e definem a direção de sua trajetória musical. A artista encontra um campo cada vez maior de atuação no Brasil e em Portugal.

Em 1998, depois de várias jornadas musicais, projetos, shows e lançamentos de discos, Eugênia concebe o programa televisivo Atlântico, criado e produzido em Lisboa, com o qual ela pretende levar sua bagagem cultural aos artistas brasileiros e portugueses. Ele passa a ser transmitido a partir de 1999, pela RTP portuguesa e a TV Cultura, no Brasil. A idéia é unir cantores e compositores das duas nações. A própria Eugênia o apresenta, contando com a parceria de Nelson Motta.

De 1982 a 2002 a cantora lança 16 discos, inclusive duas apresentações gravadas ao vivo. Todos estes trabalhos foram disseminados em Portugal e no Brasil. A partir de então ela passa a atuar junto ao produtor brasileiro Eduardo Queiróz, seguindo as novas tendências musicais, assimilando os sons contemporâneos e abrindo espaço em seu trabalho para parceiros novos e composições originais.

Em 2007 a cantora e compositora conquistou o prêmio Qualidade Brasil pela totalidade de seu trabalho. Seu famoso programa televisivo, o Atlântico, foi situado entre as cinquenta transmissões de melhor qualidade no território português, alcançando a vigésima terceira posição.

Fontes
http://www2.uol.com.br/eugeniameloecastro/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Eugênia_Melo_e_Castro

Arquivado em: Biografias, Música