Fernand Braudel

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Fernand Braudel foi um destacado Historiador do século XX e importante membro da Escola dos Annales.

Nascido em Luméville-em-Ornois no dia 24 de agosto de 1902, o francês Fernand Braudel se formou em História pela importante Universidade de Sorbonne. Sua carreira profissional teve início no continente africano, quando se mudou para Argélia e por lá residiu durante dez anos. A partir de 1933, integrou o grupo de intelectuais franceses que colaborou na organização da Universidade de São Paulo, na qual exerceu o cargo de Professor entre os anos de 1935 e 1937. Voltou à Europa ao ser nomeado para a seção de ciências da École Pratique des Hautes Études, na cidade de Paris. Acompanhou de perto a crescente tensão antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial. Iniciada esta, foi mantido preso durante longos anos e, mesmo impossibilitado de ter acesso a qualquer obra, escreveu sua mais célebre tese. Utilizando apenas suas memórias para fazer as referências. Com uma grande intensidade na escrita, redigiu todo o texto em apenas um ano, sendo que a obra completa foi publicada em três volumes.

Após defender sua tese escrita enquanto estava no campo de concentração, tornou-se Professor do Collège de France, em 1949, e assumiu simultaneamente a função de diretor do Centre de Recherches Historique da École des Hautes Études. Foi também administrador da Maison de Sciences de l’Homme e diretor da Revista dos Annales. Fernand Braudel se destacou como importante membro da chamada Escola dos Annales introduzindo significativas mudanças nos métodos historiográficos tradicionais.

Fernand Braudel publicou várias obras importantes, mas a de maior destaque, incomparavelmente, foi justamente a que escreveu completamente de cabeça durante os anos em que esteve preso nos campos de concentração da Segunda Guerra Mundial. A obra O Mediterrâneo e o Mundo Mediterrâneo à Época de Felipe II foi sua tese defendida em 1947 e publicada dois anos depois, em três volumes. Foi a obra que introduziu também seus novos e inovadores métodos historiográficos. Nela, o personagem central não é o rei espanhol Felipe II, mas o mundo mediterrâneo. Após orientações de seu mestre Lucien Febvre, fundador da Revista dos Annales, Fernand Braudel mudou a perspectiva do tema político para uma análise do mundo mediterrâneo com aspectos mais amplos, como a economia da região.

Fernand Braudel foi fundamental para uma renovação nos métodos historiográficos e, como Historiador, se destacou como um dos maiores intelectuais do século XX. Sua brilhante carreira se encerrou na cidade de Cluses, quando faleceu no dia 27 de novembro de 1985. Mas, ainda assim, outras cinco obras suas foram publicadas após a morte.

Arquivado em: Biografias