Juan Manuel de Rosas

Nascido em Buenos Aires (Argentina) no ano de 1793, Juan Manuel José Domingo Ortiz de Rozas y López de Osornio foi uma político e militar de origem argentina. Com o mesmo status de um presidente da república, governou a Província de Buenos Aires, uma das mais importantes do território no período.

Sua carreira militar teve início ainda muito jovem, quando Juan Manuel de Rosas começou a servir o exército, onde lutou contra a segunda fase das invasões inglesas. Após algum tempo, muda-se para o campo e torna-se um importante proprietário de gado na região do Pampa. Durante este período, ele monta um exército próprio dentro de sua fazenda para o combate dos indígenas.

No ano de 1828, após a derrocada de Dorrego, então governador de Buenos Aires, que teve sua execução feita pelos unitaristas, Juan Manuel de Rosas foi líder de um movimento popular e obteve sucesso na Província de Buenos Aires e nas regiões restantes do litoral. Porém, as províncias localizadas no interior ainda eram unitaristas. Então Rosas coseguiu capturar Paz, um general unitário, e reconquistar o interior, fazendo com que a Argentina voltasse à unidade sobre o poder seu poder, juntamente com López e Quiroga.

Em seu primeiro governo, que durou de 1829 e 1832, Juan Manuel de Rosas acabou renunciando, pois não lhe foi concedido poder absoluto. Assim, seu posto foi assumido por Balcarce, um homem de confiança que posteriormente veio a lhe trair. Apesar de deixar o cargo no governo, Rosas continuou liderando as forças armadas argentinas como chefe de exército e comandante.

Com a firmação do Pacto Federal no ano de 1831, o país foi unificado e houve a abolição do centralismo. O pacto foi firmado entre os territórios de Buenos Aires, Santa Fe e Entre Ríos, sendo que as províncias que restavam se juntaram logo depois.

Em seu segundo governo, Rosas obteve nomeação para assumir o 2º quinquênio governamental da província de Buenos Aires (1835-1840). Neste período, Rosas ficou conhecido pelo apelido de El Restaurador e exigiu a realização de um plebiscito que resultou em 9.320 votos a seu favor, sendo que os contrários, de acordo com alguns historiadores, somaram entre 5 e 8. No período, a província tinha aproximadamente sessenta mil habitantes, em que não podiam votar crianças, anciãos e mulheres.

Portando grandes poderes na província, enfrentou a armada francesa em 1838 e a Confederação Peruano-boliviana. Acabou sendo derrotado em 1852 pelo General Urquiza, que foi apoiado por Brasil e Uruguai na Batalha de Caseros. Rosas morreu em 1877.

Fontes:
http://global.britannica.com/EBchecked/topic/509675/Juan-Manuel-de-Rosas
http://www.library.nd.edu/rarebooks/exhibits/riverplate/09-biographies/rosas.shtml
http://es.wikipedia.org/wiki/Juan_Manuel_de_Rosas

Arquivado em: Biografias