Nise da Silveira

Personalidade singular nascida em 15 de fevereiro de 1905, Nise da Silveira foi uma médica e psiquiatra brasileira. No país, ela foi a pioneira na utilização da Terapia Ocupacional e idealizadora da Seção de Terapêutica Ocupacional e Reabilitação (STOR). Este projeto envolvia artes e era aplicado no ateliê do Centro Psiquiátrico Pedro II, no Rio de Janeiro. Nascida em Maceió (Alagoas), Nise estudou no começo dos anos 1920 na Faculdade de Medicina da Bahia, onde era a única representante feminina em sua sala. Formou-se defendendo uma tese sobre a criminalidade da mulher, retornando logo depois para a sua terra natal.

Em 1927, após a morte do pai, partiu para o Rio de Janeiro, onde atuou como médica e desenvolveu trabalhos junto ao meio artístico. Foi colaboradora do jornal A Manhã, em que teve artigos sobre medicina publicados. Cinco anos depois, fez estágio na clínica do médico neurologista Antônio Austregésilo. Após um ano, inicia atividades no serviço público no Serviço de Assistência a Psicopatas e Profilaxia Mental, localizado no Hospital da Praia Vermelha, que pertencia à antiga Divisão de Saúde Mental.

Durante a década de 1930, passou um ano e três meses presa no presídio Frei Caneca. Nise acabou presa após ter sido denunciada e acusada de esconder livros considerados subversivos durante o Governo de Getúlio Vargas. Após sair da prisão, passou um período como clandestina para não ser detida novamente. A partir deste momento, Nise dedicou-se à leitura do filósofo holandês Spinoza, sobre o qual se debruçou realizando um estudo aprofundado e depois redigiu cartas de questionamentos, que seriam publicadas posteriormente. Após a reintegração ao serviço público, em 1944, passou a trabalhar no Hospital Pedro II, no Engenho de Dentro, região suburbana do Rio de Janeiro.

Uma mulher à frente de seu tempo

Dentro desta instituição, era contrária a alguns tipos de tratamentos dados aos pacientes, como choques elétricos, insulínicos e cardiazólicos, além da lobotomia. Reagia também contra a utilização da psicocirurgia, isolamento dos enfermos e uso das camisas de força.

Ainda no Hospital Pedro II, em seu primeiro ano de atuação, Nise foi colaboradora do psiquiatra Fábio Sodré na introdução da Terapia Ocupacional na instituição. Este fato chamou a atenção de Paulo Elejalde, então diretor daquele hospital e entusiasta desta forma de reabilitação, que acabou fazendo-lhe o convite para a criação da STOR. Nise dirigiu este setor entre 1946 e 1974.

A STOR acabou tornando-se reconhecida pelo ateliê de pintura devido à qualidade do material produzido pelos pacientes no que se refere às imagens da psicose. Em 1947, o Ministério da Educação e Cultura organizou uma exposição sobre esta forma artística no Museu de Arte Moderna de São Paulo, contando com Leon Dégand, crítico francês, para a escolha das obras. Naquele mesmo ano, ocorreu também uma exposição na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

Interlocução com Jung

No intuito da pesquisa e preservação do acervo, que conta com mais de 300 mil obras produzidas por psicóticos, foi criado por Nise o Museu de Imagens do Inconsciente, em 1952. Dois anos depois, a psiquiatra manteve contato com Carl Gustav Jung por meio de cartas, nas quais propôs uma discussão daquelas imagens. Ela foi responsável pela introdução da Psicologia Junguiana no Brasil. Em 1957 ocorreu o primeiro encontro entre Nise e Jung, durante a realização do II Congresso Internacional de Psiquiatria, Zurique.

Naquele momento foi inaugurada pelo pai da Psicologia Analítica a exposição “Esquizofrenia em Imagens”, gerando grande reconhecimento mundial pelo trabalho de Nise da Silveira e pela arte produzida por seus pacientes. Ela ainda completaria a pesquisa com Marie Louise von Franz, psicoterapeuta analítica, pesquisadora, escritora e continuadora do trabalho de Jung, por meio de cartas e viagens a Zurique.

Fontes:

SILVEIRA, Nise da. Imagens do inconsciente: Com 271 ilustrações. Petrópolis: Vozes, 2015.

https://nisedasilveira.wordpress.com

http://www.museuimagensdoinconsciente.org.br/#nise-da-silveira

http://www.elfikurten.com.br/2016/05/nise-da-silveira.html

Arquivado em: Biografias