Papa Alexandre II

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Alexandre II foi o 156º papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Milão, na Itália, em 1015, Anselmo de Baggio dedicou-se sempre à vida religiosa demonstrando habilidade para administrar as questões da Igreja. Sua competência foi reconhecida após o falecimento do Papa Nicolau II, na ocasião em que foi preciso escolher seu sucessor. Anselmo foi eleito no dia primeiro de outubro de 1061 e assumiu o nome de Alexandre II.

O Papa Alexandre II era mais habilidoso que seu antecessor para lidar com as questões políticas de seu tempo. Ele apoiou a libertação das terras cristãs do domínio sarraceno, ou seja, muçulmano. Já era um estímulo que os nobres recebiam para, no final do mesmo século, se unirem na Primeira Cruzada. Naquela ocasião, os islâmicos já haviam se expandido e ocupado territórios sagrados para os cristãos. O papa teve influência também na Batalha de Hastings, um conflito entre tropas inglesas e normandas. Alexandre II declarou seu apoio ao duque Guilherme da Normandia contra Haroldo II da Inglaterra. No entanto, o inglês foi o vencedor do conflito.

Alexandre II enfrentou um grave problema de poder quando os alemães elegeram o bispo de Parma, Cadalo, como Papa Honório II. O desentendimento aconteceu ainda no início do papado de Alexandre II, que não havia sido reconhecido pelos alemães. Criou-se uma tensão na qual papa e antipapa se excomungaram e se enfrentaram em conflitos. As tropas de Honório II venceram as de Alexandre II, levando à instalação do antipapa em Roma. O Duque de Lorena interveio na situação e fez com que os dois papas se retirassem para suas dioceses até ser dado o veredito final. Então, em 1064, o Concílio de Mântua reconheceu Alexandre II como legítimo e único papa, o que permitiu sua estabilização no poder.

Alexandre II foi um papa reformador e apoiou o movimento contra a decadência e a corrupção eclesiástica chamado de pataria. Lutando contra a simonia, o Papa Alexandre II atacou os bispos germânicos obrigando o Bispo de Constança a renunciar. O papa foi obrigado a excomungar cinco de seus conselheiros também por simonia.

Em geral, seu papado de 12 anos foi eficiente e mais dedicado a questões políticas do que religiosas. O Papa Alexandre II faleceu no dia 12 de abril de 1073, aos 58 anos de idade, e foi sucedido pelo Papa Gregório VII.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.
THOMAS, P. C. A Compact History of the Popes. St Paulos BYB, 2007.

Arquivado em: Biografias