Papa Bento V

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Bento V foi o 131º papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Roma no ano 915, Bento dedicou sua vida à religião. Aos poucos foi conquistando espaço e reconhecimento no interior da Igreja Católica, ocupando cargos de relevante importância administrativa. Bento vivenciou uma fase de graves problemas administrativos, especialmente a desordem que se instalou sob o pontificado do Papa João XII, entre 955 e 963, quando intensas disputas políticas fragmentaram o poderio da instituição religiosa. Foi nesse contexto que Bento foi eleito, no dia 22 de maio de 963, para ser o sucessor no papado. Na ocasião, ele tinha 48 anos de idade.

O Papa Bento V esteve longe de representar o apaziguamento dos ânimos com sua eleição. Na verdade, já assumiu o papado com extrema oposição e em meio a um cenário político de intensas disputas que não se cessou. Seu maior opositor era o imperador do Sacro Império, Oto I, que não havia concordado com tal eleição e responsável ainda pela deposição do papa anterior. Oto apoiou Leão VIII, que se declarou papa ao mesmo tempo em que Bento V. O imperador derrubou o papa romano sem resistência e entregou o papado a Leão VIII. Enquanto isso, o Papa Bento V foi levado para a Alemanha com o imperador e cuidado com muita consideração pelo Arcebispo de Hamburg-Bremen. Seu exílio durou até o falecimento do Papa Leão VIII, o que deixou o posto de liderança da Igreja vago mais uma vez. Sofrendo grande pressão dos francos e dos romanos, o Imperador Oto I acabou reconhecendo a autoridade do papa exilado e o reconduzindo ao cargo.

Como pontífice, o Papa Bento V passou a maior parte do tempo preso em Hamburgo, na Alemanha. Quando o papa imposto pelo imperador, Leão VIII, faleceu, já era tarde demais para Bento. Ele havia passado quase dois anos exilado Ao ser reconhecido como autoridade religiosa, nem mesmo teve tempo para deixar a Alemanha. Bento V faleceu no dia quatro de julho de 965 ainda em Hamburgo. No entanto, Oto I continuou mandando no processo de escolha dos líderes católicos. O imperador ainda conseguiu eleger um novo sucessor, o Papa João XIII. Mas, ainda que o novo papa fosse querido, a autoridade de Oto incomodava muito os italianos e os francos, que conseguiram mandar o novo papa para o exílio. Só que Oto não desistiu e fez um novo sucessor, o Papa Bento VI, o qual também foi perseguido e deposto pelos italianos.

O Papa Bento V faleceu aos 50 anos de idade e é considerado santo.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.
THOMAS, P. C. A Compact History of the Popes. St Paulos BYB, 2007.

Arquivado em: Biografias