Paul Singer

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Paul Singer é um reconhecido economista e professor.

Nascido em Viena, na Áustria, no dia 24 de março de 1932, Paul Israel Singer é proveniente de uma família de pequenos comerciantes judeus que morava no subúrbio operário de Viena. Quando o país foi invadido e anexado pela Alemanha, em 1938, intensificou-se a perseguição aos judeus que já vinha sendo promovida por Adolf Hitler desde quando assumiu a liderança do país germânico. Ameaçada pelo risco que mais tarde se revelaria em uma das grandes tragédias da humanidade, que seria o Holocausto judeu promovido pelos nazistas, a família decide emigrar para o Brasil em 1940, pois já tinha alguns parentes residindo no país, estabelecendo-se especificamente em São Paulo.

Paul Singer formou-se em Eletrotécnica na Escola Técnica Getúlio Vargas, em 1951, e exerceu a profissão até 1956. Foi filiado ao Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e teve participação ativa no movimento sindical. Foi um dos líderes da greve dos 300 mil que paralisou a indústria paulistana por mais de um mês em 1953. No ano seguinte, tornou-se cidadão brasileiro. Após abandonar a profissão, Paul Singer ingressou no curso de Economia da Universidade de São Paulo e se formou em 1959.

Durante a segunda metade da década de 1950, Paul Singer foi membro ativo do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e foi um dos fundadores da Organização Revolucionária Marxista Política Operária (Polop), uma organização de esquerda que era proveniente da ala mais à esquerda do PSB. A organização foi uma das mais importantes do movimento de esquerda e de resistência no Brasil, influenciando a formação de diversos outros grupos revolucionários de esquerda.

A carreira de Paul Singer como professor começou em 1960, quando passou a lecionar na USP. Dando prosseguimento também aos estudos, doutorou-se em Sociologia em 1966 também pela USP defendendo uma tese sobre o desenvolvimento econômico e seus desdobramentos territoriais em cinco cidades brasileiras. Seu orientador foi Florestan Fernandes, sociólogo e político brasileiro muito significativo e respeitado no meio acadêmico. Logo em seguida, Paul foi aos Estados Unidos estudar Demografia em Princeton e retornou para ser Professor Titular da USP nas faculdades de Economia, Administração e Contabilidade. Entretanto, o Golpe Militar de 1964 mudaria muitas coisas em sua vida e na história do Brasil. Foi o início de uma fase de intensa perseguição aos adversários políticos e aos defensores de ideias consideradas de esquerda. O Ato Institucional Número 5, de 1968, cassou seus direitos políticos e impôs a aposentadoria compulsória por causa de suas atividades políticas. Paul Singer tinha apenas 37 anos de idade na ocasião. Ao lado de vários outros professores e pesquisadores expulsos da USP, ele participou da fundação do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), um núcleo intelectual que fez grande oposição à ditadura.

Paul Singer voltou a lecionar em 1979 na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). No ano seguinte, ajudou fundar o Partido dos Trabalhadores (PT). Lecionou durante apenas quatro anos na PUC, mas continuou desenvolvendo seus trabalhos no CEBRAP até 1988. Mas já no ano seguinte foi convidado pela prefeita de São Paulo, Luiza Erundina, para ser Secretário de Planejamento do município durante toda sua gestão.

O economista Paul Singer se destacou nas pesquisas acerca da economia solidária, que consiste em uma forma de produção, consumo e distribuição de riqueza centrada na valorização do ser humano. Publicou vários livros sobre o tema e é referência para estudos sobre desenvolvimento local. Sua atuação no Brasil e sua produção intelectual lhe renderam a honraria de Grande Ordem do Mérito da República da Áustria, recebida em 2009.

Paul Singer foi casado com Melanie Berezovsky, falecida em 2012, e pai de três filhos, um cientista político, uma socióloga e uma jornalista. O austríaco de cidadania brasileira trabalha hoje junto ao governo federal e se dedica à erradicação da miséria.

Fontes:
http://portal.mte.gov.br/ecosolidaria/textos-paul-singer.htm
http://www.portalbei.com.br/paul-singer-a-sociedade-nao-e-so-capitalismo/
http://www.incoop.ufscar.br/Links/textos/entrevista-prof.-paul-singer

Arquivado em: Biografias