Pedro Nava

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Pedro Nava foi médico e escritor brasileiro do movimento modernista.

Nascido em Juiz de Fora, Minas Gerais, no dia cinco de junho de 1903, Pedro da Silva Nava era filho do médico cearense José Pedro da Silva Nava com a mineira Diva Mariana Jaguaribe Nava. Sua formação educacional básica foi realizada no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Em 1921, Pedro ingressou na Faculdade de Medicina de Belo Horizonte, que hoje é parte da Universidade Federal de Minas Gerais. Seu interesse fundamental, anatomia humana, seria fundamental para sua futura carreira de escritor modernista. Formou-se médico em 1928 já atuando em cargos públicos da área de Saúde de Belo Horizonte.

A vida de Pedro Nava sempre foi rica financeiramente e intelectualmente. Seu pai era um respeitado médico e seus parentes eram pessoas influentes, o que o garantiu bons cargos públicos na carreira médica. Pedro Nava foi membro da Sociedade Brasileira de Medicina e Cirurgia e da Academia Nacional de Medicina, livre docente na Universidade do Brasil e foi designado pelo Ministério da Educação e Cultura para estudar na Europa. Sua carreira de escritor começou com sua atividade profissional, quando publicou, em 1949, Capítulos de História da Medicina no Brasil. Porém só se dedicaria à literatura após sua aposentadoria. Em 1969, Pedro Nava se retirou do serviço público e permaneceu atendendo em seu consultório até 1983. Nesse período, passou a investir com mais vigor na literatura. O abandono da carreira médica só ocorreu em função do início de uma deficiência auditiva.

Pedro Nava só voltou a publicar um livro em 1972, chamado Baú de Ossos. Era o início dos relatos de um memorialista que narrava com muita sensibilidade os fatos de sua vida e do Brasil no decorrer do século XX. Como não poderia deixar de ser, as reflexões médicas estavam também sempre presentes. É, por isto, considerado um grande historiador da medicina. Seus estudos tinham como referência a perspectiva positivista de Augusto Comte e Leopold Von Ranke e, simultaneamente, recebia influência de seus contemporâneos Gilberto Freyre, Caio Prado Júnior e Sérgio Buarque de Holanda, que já eram reconhecidos por Pedro Nava como inovadores nas Ciências Humanas e admirados pela escrita modernista.

Pedro Nava esteve cercado de intelectuais e de autoridades ao longo de sua vida. Estudou com Juscelino Kubitscheck e foi amigo de Manuel Bandeira e de Carlos Drummond de Andrade, o qual admirava os textos do juiz-forano. Como modernista, Pedro Nava defendia a influência do colonial mineiro na raiz cultural brasileira. Sua escrita foi muito influenciada pelos centros urbanos nos quais viveu, Juiz de Fora, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Seu livro de 1972 apresenta uma lista de personalidades e relatos cativantes de sua infância em Juiz de Fora. No ano seguinte, publicou Balão Cativo, saudando mais uma vez sua cidade natal. Chão de Ferro, de 1976, lembra o período de mudança para o Rio de Janeiro. Em 1978, Beira-Mar apresentava suas memórias sobre a década de 1920 em relação também aos importantes acontecimentos nacionais. Suas duas últimas publicações seriam mais melancólicas, como uma longa despedida. Galo das Trevas, 1981, e O Círio Perfeito, 1983, foram publicados pouco antes de morrer e já anteviam o sofrimento do final de sua vida. Pedro Nava teve uma companheira por muitos anos e era um voyeur. Cometeu suicídio com um tiro na cabeça no dia 13 de maio de 1984. Embora a imprensa da época tenha tentado encobrir o fato, tudo indica que o ato seria decorrente da chantagem feita por um garoto de programa. Após receber uma misteriosa ligação telefônica, Pedro Nava foi para uma praça do bairro Glória, no Rio de Janeiro, e decretou o fim de sua vida.

Os sete livros publicados por Pedro Nava relataram a cultura brasileira no século XX e o destacam como um dos mais importantes memorialistas brasileiros. Em 2006, foi publicado um livro póstumo reunindo o que deixou incompleto com o título de Cera das Almas.

Fontes:
Vale, Vanda Arantes do. Pedro Nava — cronista de uma época: medicina e sociedade brasileira (1890–1940). Universidade Federal de Minas Gerais, 2009.
http://acervo.revistabula.com/posts/ensaios/midia-esconde-homossexualidade-de-pedro-nava
http://www.usp.br/jorusp/arquivo/2003/jusp634/pag1011.htm
http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=op_ovcf_MLkC&oi=fnd&pg=PA11&dq=Pedro+Nava&ots=PZtiaH7Sm_&sig=ckNONFpMpbabVq35l_r7cVkn5xA#v=onepage&q=Pedro%20Nava&f=false
http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=Rx8UtBErFeQC&oi=fnd&pg=PA13&dq=Pedro+Nava&ots=YL0tfcTOx_&sig=KXS9pcGfiE2ijJIK1skFjndixOU
http://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=IDc_SqcjrbwC&oi=fnd&pg=PR7&dq=Pedro+Nava&ots=mQaZ-zG7Uc&sig=RYbbHLmnrXo6Hxjs9a_LoryE6CA

Arquivado em: Biografias