Walter Benjamin

Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UNIABEU, 2015)

Walter Benedix Schönflies Benjamin nasceu em Berlim, Alemanha, no dia 15 de Julho de 1892.

Seus pais eram Emil Benjamin e Paula Schönflies Benjamin, comerciantes judeus.

Ainda na adolescência, Benjamin alinhou-se aos ideais socialistas.

No ano de 1904 foi matriculado em um internato, devido à sua frágil saúde. Ingressou no Movimento da Juventude sob influência de um pedagogo que conheceu neste internato.

Em 1910 Benjamin começou a publicar ensaios e críticas em uma revista juvenil, usando o pseudônimo Aroob.

Estudou Filosofia Neokantiana em Brisgóvia, e em 1913 foi para Berlim estudar Lógica. Foi eleito presidente do Grupo de Estudantes Livres, que integrava o Movimento da Juventude, porém, no ano de 1915, Walter rompe com o Movimento, pois discordava do apoio dado à Primeira Guerra.

Dois anos depois casou-se com Dora Sophie Pollak, e para fugir do alistamento para o exército alemão, emigrou para Berna, na Suíça. Neste mesmo ano, Dora deu a luz ao único filho do casal, Stephan.

Em 1919, tornou-se doutor pela Universidade de Berna.

No ano de 1920 retorna para Berlim, e começa a enfrentar dificuldades financeiras. Sua situação se complica quando sua tese de livre docência é rejeitada pelo Departamento de Estética da Universidade de Frankfurt, em 1925.

Viajou para Moscou em 1926, trabalhando como escritor. Nesta época desiludiu-se com o socialismo.

Benjamin separou-se de sua esposa Dora em 1930 e três anos depois, com a expansão do regime nazista, emigrou para Paris. Em 1935 as revistas e jornais já não aceitavam mais nenhum de seus artigos.

Começou, em 1937, a receber ajuda mensal do Instituto de Pesquisa. Fracassou em sua tentativa de naturalização francesa.

Em 1939 perdeu sua cidadania alemã. Com a invasão nazista na França, atravessou Paris, na esperança de chegar à Espanha e embarcar para os Estados Unidos.

Walter Benjamin suicidou-se na Espanha, em 26 de Setembro de 1940, ao ter sua passagem recusada pelos espanhóis. Por medo de ser pego pelos nazistas, injetou em si mesmo uma dose letal de morfina que trazia consigo.

Principais obras:

  • Origem da Tragédia Alemã;
  • O Tomo;
  • O Conceito de Crítica e de Arte no Romantismo Alemão;
  • Teses sobre o Conceito de História.