Gastrópodes

Os gastrópodes fazem parte da classe Gastropoda, a maior e mais diversa classe do filo Mollusca. Essa classe é composta por animais marinhos, terrestres e de água doce.

Concha

Nem todos os moluscos apresentam conchas de proteção, mas quando esta está presente tem só uma valva (só uma peça) e pode ser ou não enrolada em espiral. Na ponta da concha é encontrado o material secretado mais antigo. Se a concha tem a espiral orientada para o lado direito, é chamada de concha dextral, se é orientada para o lado esquerdo é chamada sinistral. Como a concha serve de proteção, em momentos de perigo alguns animais entram na concha e ficam lá até sentirem que o perigo passou. Por esse motivo, quando o animal se retrai para dentro da concha, a abertura dela é fechada por uma estrutura calcária ou córnea chamada opérculo para evitar que o animal seja retirado de lá.

Proteção

Além da concha como proteção, os gastrópodes têm outros métodos para se protegerem. Algumas espécies secretam toxinas, tem gosto ruim ou tem hábitos discretos. Alguns têm se defendem com o opérculo quando este é pontiagudo.

Torção

Os Gastrópodes têm desenvolvimento indireto, ou seja, passam por estágios larvais até chegar a forma adulta. A primeira fase larval é a larva trocófora seguido pelo estágio véliger. Neste estágio todos os órgãos sofrem uma torção dentro da cavidade do manto, mudando de posição.

A torção acontece quando o pé muscular sofre uma retração e acaba posicionando os órgãos em 90º no sentido anti-horário fazendo com que o ânus se posicione acima da cabeça. Em algumas espécies os animais sofrem a distorção posicionando o ânus na lateral do corpo.

Alimentação

Todos os gastrópodes fazem uso da rádula para se alimentar (uma estrutura com vários dentículos). A maioria dos gastrópodes são herbívoros e se alimentam raspando algas, plâncton, sementes, escavadores etc.

Respiração

A respiração é feita por meio de ctenídios que assumem formas de brânquias em animais aquáticos. Os animais pulmonados, geralmente terrestres fazem a troca gasosa por meio de uma área vascularizada do manto.

Excreção

Os gastrópodes possuem uma estrutura chamada metanefrídeo, que funciona como um rim.

Sistema nervoso

O sistema nervoso dos gastrópodes é composto por três pares de gânglios conectados por nervos. Os órgãos sensoriais incluem olhos, órgãos fotorreceptores, quimiorreceptores e táteis. Osfrádio é um órgão quimiorreceptor e mecanorreceptor localizado na base do sifão.

Reprodução

Os gastrópodes podem ser monoicos e dioicos (órgão masculino e feminino em um único animal e animais com órgãos femininos e outro com órgão masculino, respectivamente). Mesmo em animais monoicos há troca de material genético. Após a fertilização dos ovos, eles são depositados em cavidades no chão.

Sistemática

Gastrópodes têm três subclasses: Prosobranchia, Opisthobranchia e Pulmonata.

Os prosobrânquios contém os caracóis marinhos e alguns gastrópodes terrestres. Esses animais têm tentáculos, opérculo e são geralmente dioicos.

Os opistobrânquios são animais marinhos que vivem em águas rasas, geralmente escondidos em pedras. Eles têm dois pares de tentáculos, suas conchas são pequenas ou ausentes e são todos monoicos. As lesmas do mar, que es encontram nessa subclasse, são muito coloridas, algumas espécies apresentam fileiras de espinhos na região dorsal e são carnívoras, se alimentando de anêmonas.

Gastrópode da espécie Arianta arbustorum, um caracol terrestre. Foto: Bozhena Melnyk / Shutterstock.com

Os pulmonados são os caramujos (gastrópode de água doce) e os caracóis (gastrópodes terrestres). Eles são monoicos, tem tentáculos e algumas espécies de água doce são hospedeiros de larvas de parasitas como acontece com a esquistossomose. A larva do parasita invade o caramujo do gênero Biomphalaria para de desenvolver, abandonam os caramujos e uma vez livre na água penetra pela pele dos seres humanos.

Referência:
Hickman, Princípios integrados de zoologia 14 edição, 2008 – Páginas 339 a 346

Arquivado em: Moluscos