Terrier Escocês

O Terrier Escocês é uma raça de cães, oriunda da Escócia, mais especificamente, da cidade de Alberdeen. Trata-se de uma das raças terriers mais antigas desse país, desenvolvida com a finalidade de criar um cão de caça capaz de desentocar as presas para os seus donos, uma vez que, naquele tempo, a caça consistia em uma atividade fundamental.

As raças Skye Terrier, Carirn Terrier e o West Highland White Terrier, que nos dias de hoje são consideradas independentes umas das outras, era, antigamente, conhecidas somente como Alberdeen Terrier. Até o final do século XIX eram cruzados animais do grupo dos Terriers entre si, sendo possível encontrar, na mesma ninhada, animais com características de todas essas raças.

Durou muito tempo, além de gerar muita polêmica, a luta para transformar o Terrier Escocês em uma raça independente. Foi somente em 1930 que o Clube Kennel definiu o padrão da raça e nomeou-a como Scottish Terrier.

Terrier Escocês. Foto: Capture Light / Shutterstock.com

Descrição

São animais de pequeno porte, que alcançam até 28 cm de altura na cernelha e 9,5 kg, atarracados, de tamanho satisfatório para trabalhar no solo, com membros curtos e postura alerta.

A cabeça aparente ser longa para o tamanho do cão, porém sem ser desproporcional. O crânio é quase plano, apresentando um stop ligeiro, mas distinto entre o crânio e o focinho. A trufa é preta, grande e, de perfil, a linha que segue da trufa até o focinho aparente ser levemente inclinada para trás. Os olhos são amendoados, de coloração marrom escura, bem separada e profundamente inserida abaixo das sobrancelhas.

O pescoço é musculoso e de comprimento moderado, evidenciando qualidade.

A linha superior do tronco é reta e nivela, o dorso é musculoso e curto, porém proporcional, e o lombo é profundo e apresenta uma musculatura desenvolvida. O peito é amplo e descido entre os membros anteriores.

O peito situa-se bem à frente dos membros anteriores, que apresentam patas de tamanho proporcional, bem acolchoadas, ligeiramente maiores do que as dos membros posteriores. Estes últimos são notavelmente poderosos para o tamanho do animal, com patas de bom tamanho e bem acolchoadas.

A cauda possui comprimento moderado, sendo grossa na raiz, afunilando em direção à ponta, portada reta ou levemente curvada.

A pelagem destes cães é densa, evidenciando uma delgada camada de óleo que dificulta a penetração de água, protegendo os animais no frio, auxiliando na manutenção da temperatura corporal. As cores mais observadas são preto e o cinza escuro; todavia, outras cores, como o branco, são aceitas.

Temperamento

Os cães desta raça são muito valentes, ativos e alegres. Possuem grande agilidade e versatilidade. Nos dias de hoje, são utilizados como cães de alarme e de companhia, embora não sejam cães de colo. Esses animais são muito fiéis aos seus donos, além de serem altamente inteligentes. Não é uma raça ideal para crianças, pois não gostam de carinho em excesso, podendo se tornar agressivos como uma forma de revidar alguma brincadeira.

Por apresentarem personalidade forte, a convivência com outros cães pode ser difícil. Por esse motivo devem ser adestrados desde cedo, evitando que dê trabalho ao dono na fase adulta.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Terrier_escoc%C3%AAs
http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo3/terrierescoces.pdf

Arquivado em: Cães