Escala cartográfica

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

Todo mapa (planta de imóvel ou outros) é uma representação gráfica de um espaço real, um pedaço do mundo (ou o mundo todo) e existe com a finalidade de que seja possível observar todo aquele espaço sem precisar ficar vagando a todo o momento por ele todo. Portanto, os mapas não podem ser em tamanho real, mas precisam ser reduzidos.

De que adiantaria um mapa que fosse do exato tamanho de um local? Já imaginou uma folha cobrindo todo o planeta Terra com um mapa do mesmo? Porém, se o mapa é uma redução, para que ele seja útil é necessário manter a proporção entre as partes do mapa e ter conhecimento de o quanto ele está reduzido em relação ao local original. A esta redução proporcional entre si e em relação ao espaço real chamamos de escala cartográfica.

Esta escala cartográfica é definida por precisos cálculos matemáticos e pode ser representada de duas formas, sendo representada nos mapas como escala gráfica e como escala numérica.

Escala numérica

A escala numérica é a representação mais simples e comum. Nela, a escala cartográfica aparece da seguinte forma 1:x, sendo 1 o número de centímetros no mapa e x o número equivalente no espaço real.

Ex.: Um mapa com escala 1:100.000 é um mapa em que cada centímetro representado naquele mapa equivale a cem mil centímetros na vida real. Assim sendo, se temos uma estrada neste mesmo mapa que mede 5 cm no mapa, na realidade ela medirá 500.000 cm na vida real (5 km).

Escala gráfica

Se a escala numérica acaba exigindo o cálculo da conversão de medidas (geralmente para quilômetros ou metros), a escala gráfica já apresenta a escala cartográfica comparando cada centímetro do mapa já convertido em outra medida.

A escala gráfica é representada como se fosse uma régua com intervalos geralmente medindo um centímetro cada. Assim, acima de cada intervalo deste está escrito o quanto aquele intervalo (de um centímetro) mede na realidade. Assim, a “régua” seguirá o padrão: 0, x, 2x, 3x, 4x. Sob a régua estará escrita qual é a medida para qual o espaço real está convertido (metros ou quilômetros). Ex.: Em uma régua na qual cada centímetro do mapa vale 500 metros na vida real, a sequência será 0, 500, 1.000, 1.500, 2.000, etc.

Escala Cartográfica vs. Escala Geográfica

É importante diferenciar a escala cartográfica da escala geográfica, a escala cartográfica é a razão proporcional entre o espaço real e a representação gráfica dele. Quanto menor a localidade a ser representada, maior será a escala cartográfica pois será menor a redução e, portanto, mais detalhes serão representados. Enquanto que quanto maior for a área representada, menor será a escala e os detalhes apresentados.

A escala geográfica, por sua vez, na realidade fala sobre a abrangência de um determinado fenômeno. Se um fenômeno é local, regional, nacional ou mundial. Assim, a escala geográfica será menor se o fenômeno atingir apenas uma área menor, enquanto que um fenômeno em grande escala será o que atingir mais áreas.

Portanto o conceito de escala maior e menor são invertidos na escala geográfica e na escala cartográfica. Se a área de abrangência for menor, a escala cartográfica será maior e a escala geográfica será menor, enquanto que se a área abrangida for maior a escala cartográfica será menor e a escala geográfica maior.

Arquivado em: Cartografia