Senescência Celular

O termo senescência refere-se ao processo de envelhecimento dos seres vivos. A senescência celular consiste no processo de parada de divisão celular, fazendo com que não haja mais substituição de células que, por algum motivo, pararam de metabolizar.

Muitos autores acreditam que o comportamento dos telômeros dita o número de divisões que um tipo de célula pode sofrer. Hermann J. Muller apontou há anos atrás que o segmento final do cromossomo é importante para a viabilidade celular, protegendo os cromossomos da desorganização.

Pesquisas evidenciaram que os telômeros encurtam-se quando as células humanas somáticas normais envelhecem e mantêm seu tamanho estável em células tumorais. Uma vez que a senescência celular encontra-se intimamente relacionada à gradativa redução do número de repetições do DNA telomérico, é possível que a senescência se trate de uma incapacidade de manutenção do comprimento dos telômeros durante o processo de divisão celular.

Quando a senescência ocorre fora da época em que deveria ocorrer, muitas desordens relacionadas com o desenvolvimento podem aparecer. Contudo, uma pequena quantidade de células sobreviventes é capaz de restaurar o comprimento de seus telômeros por meio de mecanismos recombinantes.

Outro ponto importante da senescência celular é a intensa expressão e acúmulo de enzimas beta-galactosidae nas células. Este fato foi observado primeiramente por Dimri e colaboradores, no ano de 1995, os quais propuseram a existência de uma nova isoforma de beta-galactosidase com atividade ótima em pH 6,0 (denominada Senescence Associated beta Gal ou SA-beta-gal). Contudo, atualmente sabe-se que, na realidade, é o acúmulo de beta-gal nos lisossomos e que esse processo não é imprescindível para o aparecimento da senescência.

As células cancerígenas são chamadas de “imortais”, pois possuem a enzima telomerase, capaz de regenerar os telômeros a células, possibilitando que se multipliquem indefinidamente. Desta forma, muitas pesquisas têm sido realizadas com telômeros e telomerases, com o objetivo de descobrir novas formas terapêuticas para o envelhecimento ou para a divisão celular desordenada. Por exemplo, caso fosse encontrado o inibidor da telomerase, este poderia ser utilizado como um tratamento efetivo para o câncer.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Senesc%C3%AAncia_celular
http://www.rc.unesp.br/ib/biologicas/meca.html

Arquivado em: Citologia