Citas

Povo da Antiguidade Clássica formado por nômades equestres que tinham o pastoreio como principal atividade. Os citas estabeleceram-se na região da estepe pôntico-cáspia, que, naquele tempo era conhecida como Cítia. Este território acabou sendo dominado pelos sármatas, povos iranianos com quem os citas apresentavam um parentesco muito próximo. Um nome importante para a perpetuação da história dos citas foi Heródoto, geógrafo e historiador grego que registrou seus costumes e atividades na obra Histórias. Outra fonte são os materiais arqueológicos encontrados e as obras feitas em ouro na região sul da Rússia e em território ucraniano. Contudo, o nome cita tem uma utilização muito variada. Pode referir-se a vários povos parecidos com os citas que habitavam aquela região, pois a Cítia possuía uma extensa área.

De acordo com Heródoto, os citas faziam uso da maconha para diversas atividades. Com a planta, teciam suas roupas e limpavam-se com sua fumaça. Segundo descobertas arqueológicas, este povo também utilizava o cânhamo em rituais fúnebres. “O historiador latino Tácito, que viveu no século I d.C., relata que os citas, um povo da atual Turquia, tinham o costume de armar uma tenda, acender uma fogueira e queimar grande quantidade de maconha. Daí ficavam lá dentro, numa versão psicodélica do banho turco”, afirma o jornalista Denis Russo em matéria para o portal da revista Super Interessante.

Entre os diversos povos que habitavam a região, os possíveis citas conhecidos por Heródoto em suas obras provavelmente chamavam-se Skolotoi. O termo grego Skythēs possivelmente indica uma variante ancestral da mesma palavra, Skuδa- (na qual Heródoto alterou o som “ð”, com o qual não tinha familiaridade, pelo lâmbda, “Λ”; -toi representando a terminação no plural do iraniano da região nordeste, “-ta)”. A palavra, que tinha significado original de "disparador", "atirador", tem origem na raiz proto-indo-europeia “skeud-“, que significa "arremessar". (como no inglês shoot (atirar), e no idioma alemão, “Schütze”.

A palavra utilizada pelo povo sogdianos para fazer referência a si próprio era “Swγδ”, pode apresentar um termo relacionado, no caso: Skuδa > Suγuδa apresentando vogal anaptítica. O termo também existe no idioma assírio da seguinte maneira: “Aškuzai” ou “Iškuzai”, que significa cita. Também poderia ser a fonte para a palavra da Bíblia “Ashkenaz”,  grafada de forma errada como אשכנז, ’šknz), que deu origem à palavra judaica póstuma para que se referia às áreas dos germanos na região central da Europa, e foi utilizada como auto-descrição pelos povos judeus asquenazitas que habitavam a região entre os Ashkenazim (alemães, denominados como Wendels ou teutônicos.

Os povos da antiguidade persa utilizavam outra denominação para se referir aos citas: sacas. Provavelmente, a origem de “saca” esteja em uma derivação da raiz do verbo sak-, que significa "ir" ou "vagar", o que explica o nomadismo. Na China, os sacas eram conhecidos pelo termo “Sai”. A região do Sistão (Sistan), no Irã, tem seu nome originado de Sacastão, território habitado pelos “saka”.

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Scythians
http://www.lost-civilizations.net/scythians.html
http://super.abril.com.br/ciencia/verdade-maconha-443276.shtml
http://hempadao.blogspot.com.br/2012/01/historia-do-uso-do-canhamo-continuacao.html