Gás Lacrimogêneo

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Qualquer que seja o composto químico gasoso, natural ou sintético, que produza um efeito lacrimejante sobre o organismo poderá ter a denominação de gás lacrimogêneo, desde que apresente baixa toxicidade.

O gás lacrimogêneo, do latim lacrima, trata-se de um grupo de compostos de propriedades, como seu próprio nome sugere, capazes de irritar a pele e tecidos sensíveis, como os olhos. Quimicamente, o gás CS, abreviatura para clorobenzilideno malononitrilo, é um exemplo. Quando se percebeu que os seus efeitos poderiam atingir multidões, pois este gás se propaga lentamente pelo ar e sua sedimentação é lenta, e, principalmente, sem apresentar letalidade, pois seus efeitos logo desaparecem, passou a ser utilizado em todo o mundo com a finalidade de dispersar multidões. Recebe a denominação, dessa forma, de arma não-letal, pois dispersa sem ferir gravemente.

De custo mais baixo, o spray de pimenta, ou aerossol de pimenta, está entre os mais populares. Outros compostos também podem ser utilizados para este fim, como o cloro-acetona e o bromo-acetona, de fórmulas respectivamente iguais a (CH3–CO–CH2–Cl) e (CH3–CO–CH2–Br). Em relação ao seu efeito sobre o organismo, o CS ainda predomina, mas seus efeitos são menos duradouros. Dessa forma, bombas de efeito moral ou armamentos de distração trazem tais compostos em sua formulação, sendo diferenciada apenas a sua forma de propulsão.

Uma bomba moral, “inflama uma mistura química que explode com grande estrondo, normalmente espalhando uma nuvem de talco. Há também a bomba de fumaça, usada para obscurecer a visão; a flashbang, que produz um clarão que desorienta a vítima temporariamente; e a de gás lacrimogêneo, que irrita as mucosas de olhos, nariz, boca e pulmões, fazendo a pessoa espirrar, chorar e tossir fortemente. Mas, enquanto as granadas militares soltam estilhaços de metal mortíferos, as de efeito moral são feitas com um plástico que se desintegra - assim, não ferem ninguém, pelo menos em teoria”1.

É interessante saber que hoje “os gases lacrimogêneos são classificados como agentes irritantes não-letais pela Convenção de Armas Químicas, acordo firmado por 178 países. Como seus efeitos são temporários, forças policiais podem usá-los para dispersar multidões. No entanto, a mesma convenção proíbe seu uso como arma de guerra, dizendo que, em alta concentração, o gás pode matar o inimigo”2. Sua utilização pelas forças armadas já fora, portanto, muito mais pontual do que o que é visto atualmente.

Leia também:

Referências:
1. http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-que-sao-bombas-de-efeito-moral
2. http://super.abril.com.br/cotidiano/descubra-regras-usar-gas-lacrimogeneo-683209.shtml

Arquivado em: Compostos Químicos