Comunicação interpessoal direcionada à Educação

MBA em Comunicação Corporativa (Anhembi Morumbi, 2009)
Graduada em Fonoaudiologia (PUC-SP, 2005)

Comunicação interpessoal: dicas para o ambiente escolar

A escola é composta por pessoas com diferentes culturas. A direção, os professores, alunos, pais e funcionários fazem parte de um organismo onde cada um desempenha um papel diferente. Para se obter os resultados esperados, é preciso desenvolver o potencial de cada pessoa, criando condições favoráveis no ambiente escolar. E a chave para que isso aconteça é a comunicação interpessoal.

O termo pode parecer redundante. Aliás, se existe comunicação entre duas pessoas, esta é necessariamente interpessoal. Mas, aqui, abordaremos o conceito no ambiente educacional. O responsável por colocá-la em prática é o gestor escolar, pois ele é o articulador e o incentivador do trabalho coletivo. Para isso, é necessário que o profissional esteja atento ao processo comunicativo desenvolvido na escola entre pessoas com tantas personalidades distintas.

Que tal identificar a necessidade dessa estratégia na prática? Reflita sobre seu cotidiano no ambiente escolar. Você já tentou dar um feedback a alguém e, ao invés de receber suas críticas construtivas, a pessoa se irritou e não gostou do que você tinha a dizer? Ou, por acaso, você tem dificuldade de dizer não, sem ofender a outra pessoa? Esses são alguns problemas comuns, mas, se a comunicação interpessoal é eficiente, tais situações seriam bem mais fáceis.

Foto: Monkey Business Images / Shutterstock.com

Desafios da gestão escolar

Em um ambiente heterogêneo, apenas é possível realizar um trabalho eficiente quando os profissionais criam um espírito coletivo. Nele, as diferenças pessoais se transformam em energia em prol de resultados comuns. Sabe-se, porém, que mudar o próprio comportamento ou relacionar-se com pessoas de comportamentos difíceis exige muito esforço e determinação. Aí a importância de reconhecer que a única pessoa sobre a qual exerce algum controle significativo é você mesmo.

Selecionamos algumas dicas para aprimorar a comunicação interpessoal. Confira!

  • Busque comunicar-se melhor. Estabelecer uma comunicação não é apenas cumprimentar e trocar algumas palavras. O ideal é que, a partir do momento em que você estabelece a troca de informações, aproveite para exercer a empatia e estar aberto para diferentes pensamentos, culturas e vivências.
  • Tenha os ouvidos atentos. Ao se abrir para se comunicar no ambiente escolar, aprende-se muito com o outro. Esse processo é bilateral, no qual o intercâmbio de ideias torna-se muito mais proveitoso.
  • Aprenda a olhar por outros ângulos. Durante a vida, alguns paradigmas se formam e enraízam em nós. Porém nos princípios da comunicação interpessoal, você se torna mais suscetível a quebrá-los, ou a renová-los. Não é abrir mão de suas convicções, mas estimular a mudança e a descoberta de novos caminhos.
  • Estimule o compartilhamento. A inibição é uma característica normal de muitas pessoas. Porém, quando se trata de compartilhar ideias ou conhecimento no ambiente escolar, pode ser visto como negativa. Por isso, é importante criar um ambiente favorável a este compartilhamento, promovendo mais confiança e segurança entre as pessoas.
  • Olhe para o seu corpo. As palavras por si só não resumem a comunicação interpessoal. A entonação, os gestos e a expressão facial são um conjunto de fatores que demonstram os mais diversos sentimentos. Então, observe-se e veja o que tem demonstrado aos outros!
  • Auxilie na resolução de conflitos. As práticas de comunicação interpessoal são poderosas aliadas para resolver e prevenir problemas. Por isso, procure sempre estimular o diálogo entre os agentes no ambiente escolar. Atue como mediador, ouça as partes envolvidas e procure aproximá-las para que tudo se resolva com serenidade.
  • Potencialize o desempenho dos funcionários. Quando a comunicação interpessoal é valorizada e praticada no ambiente de trabalho, as pessoas melhoram o desempenho porque passam a se conectar melhor na busca pela obtenção de resultados.

E o professor?

Não se pode esquecer da dinâmica entre aluno e professor. Se o ambiente está desfavorável na sala de aula, as estratégias comunicacionais podem auxiliar nessa relação. Geralmente, os estudantes não participam de forma ativa das classes por numerosos estímulos exteriores, por aversão à autoridade ou mesmo por desinteresse pela matéria.

Se o professor busca praticar a assertividade, ele enfatizará os objetivos do ensino, instigará o aluno a relembrar suas motivações na construção de seu futuro, e é possível que os alunos mudem sua predisposição. Para reverter os comportamentos negativos, o docente pode mudar a forma de se comunicar, observar se as palavras estão sendo fluidas, se está sendo escutado em toda a sala e se sua expressão facial está convincente. Além disso, aprender a escutar é crucial.

Uma boa comunicação interpessoal é fundamental em todos os lugares, mas, na escola, talvez essa importância seja ainda maior, já que esse é um espaço de aprendizado e crescimento, primordial para que os alunos serão no futuro!

Arquivado em: Comunicação, Educação