Por que as crianças deveriam aprender a falar em público o quanto antes?

MBA em Comunicação Corporativa (Anhembi Morumbi, 2009)
Graduada em Fonoaudiologia (PUC-SP, 2005)

Falar em público envolve habilidades que, quando aprendidas desde criança, se estendem para toda a vida. Desde pequenos, a comunicação tem um importante papel na socialização e colabora em todo o período de escolarização. Quem não consegue se expressar ou defender seus argumentos diante de um grupo pode enfrentar problemas na sala de aula, na vida e, futuramente, na profissão.

Cabe aos pais e à escola prover as ferramentas necessárias para que as crianças sejam incentivadas a falar em público. Investir em aulas de oratória, teatro, acompanhamento fonoaudiológico e ter atividades escolares voltadas para o tema são elementos que podem auxiliar nesse aprendizado.

Foto: Syda Productions / Shutterstock.com

Qual a relação das crianças com a oratória?

Os resultados de uma comunicação eficiente são visíveis no comportamento do dia a dia das crianças. Quando o pequeno aprende a falar em público, fica mais fácil promover um espaço no qual ele se sinta à vontade para descobrir sua própria opinião, argumentar, lidar com pensamentos diferentes dos seus, e, principalmente, ter mais autoconfiança.

No entanto, a vergonha e o nervosismo podem deixá-los paralisados só de pensar na ideia. Muitos não estão acostumados a interagir com outras pessoas e, por isso, não se sentem à vontade em situações do tipo. É preciso aprender a perder o medo e superar a timidez e o jeito mais simples é praticando. Com todo esse incentivo, não há limite para até onde as suas vozes podem chegar. Discursos de crianças têm repercutido o mundo, transmitindo ideias, causas e propostas.

Crianças que não têm medo de falar em público

Aos 13 anos, a canadense Severn Suzuki encarou o público para fazer sua defesa ao meio ambiente na ECO 92, no Rio de Janeiro. “Foi através de muito empenho que conseguimos o dinheiro necessário para virmos de tão longe, para dizer a vocês adultos que têm que mudar o seu modo de agir. Ao vir aqui hoje, não preciso disfarçar meu objetivo, estou lutando pelo meu futuro”, declarou na época.

Em 2016, a cidade de Charlotte, nos Estados Unidos, era palco de violentos protestos por causa do assassinato de um homem negro por um policial. Aos nove anos, Zianna Oliphant interrompeu a assembleia sobre o tema e fez um emocionado discurso durante a sessão. Em lágrimas, ela disse: "Somos pessoas negras e não deveríamos ter que sentir este tipo de coisa. Não deveríamos protestar porque vocês nos tratam mal".

Diante do potencial da fala dos pequenos, deve-se dar a atenção necessária para a comunicação oral. Apesar de algumas escolas particulares investirem em aulas de oratória e estratégias para auxiliar os alunos, a maioria das instituições, especialmente as públicas, não tem se dedicado à questão como deve. Mesmo com o ensino da língua oral previsto nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) há décadas, o assunto ainda não é tomado como prioridade.

Quais são os motivos para incentivar a criança a falar em público?

  • O cérebro dos pequenos tem a capacidade de aprender mais rápido e absorver mais informações. Por isso, investir cedo nesse aprendizado pode ajudá-los a estarem preparados para diferentes situações durante a vida.
  • Se a timidez é um problema, aprender as técnicas para falar em público irá ajudar a superá-la. Muito além da finalidade de exposições exitosas, promove-se o autoconhecimento e a melhoria nas relações sociais.
  • Se na sala de aula a criança tem dificuldade de pedir ajuda, esclarecer dúvidas ou mesmo apresentar trabalhos, o desempenho escolar pode ser abaixo de seu potencial. Munindo-se das estratégias adequadas, ela poderá superar os medos e a insegurança para desenvolver-se corretamente.
  • Ao aprender a falar em público, a criança vai adquirir características que serão úteis para sua vida adulta. Entre elas, autoconfiança, empatia, liderança, escuta, comunicação assertiva e liderança.

Arquivado em: Comunicação