Livro de Rute

O Livro de Rute é um dos livros de natureza histórica que integram as Escrituras Sagradas, mais exatamente o Antigo Testamento. Ele é composto por quatro capítulos, nos quais se desdobra um enredo que se passa na era dos Juízes de Israel. Este período transcorre de 1210 a.C. a 1030 a.C.

Nesta época, ainda não localizada precisamente pelos historiadores, mas provavelmente, de acordo com o historiador hebreu Josefo, a mesma vivida pelo sacerdote Eli, herdeiro de Sansão, a inconstância espiritual predominava. Rute, a protagonista da história, era proveniente de Moabe, território hoje conhecido como Jordânia.

O Livro de Rute revela como ela se transformou em um dos antepassados de Davi através da união com um familiar de seu ex-marido, já falecido. Ela escolhe permanecer ao lado da sogra Noemi, que volta para Israel. Nesta nação ela começa a trabalhar para Boaz, coletando cereais em suas terras. Depois de algum tempo eles contraem matrimônio e concebem Obed, avô de Davi.

O nome Rute tem o sentido de ‘amizade’, expressão que realmente explica o vínculo estabelecido entre as duas mulheres, sogra e nora. Neste livro revela-se o papel de Deus na existência destas corajosas figuras femininas, que procuram sobreviver em tempos difíceis, marcados pela penúria e pela fome.

Boaz abriga Rute, mesmo sabendo que ela é forasteira, ao tomar conhecimento de tudo que a jovem havia feito pela sogra, e não era pouco, nessa época, abandonar o lar e ir morar com uma comunidade estranha. O casamento ocorre quando o ancestral de Davi adquire todos os bens familiares de Noemi, que, ao partir para Moabe, havia contrariado a vontade divina; assim, já tinha perdido o marido e seus dois filhos, Malom, o cônjuge de Rute, e Quiliom.

Somente Rute aceitou partir com a sogra de volta a sua terra natal, mas o Pai olhou por ela quando lhe deu a oportunidade de se unir a Boaz, neste caso seu ‘resgatador’. Ao aceitar seguir Noemi, ela não só adota sua família, mas também seu Deus. E assim ela ingressa na genealogia de Davi, o corajoso rei que derrota Golias, o filisteu; de sua linhagem nasce Jesus.

A História de Rute transcorre ao longo de onze anos. As convenções hebraicas estabelecem que Samuel foi o autor deste livro; aliás, ele teria sido o responsável pela unção de Davi. Como a narrativa é encerrada com a genealogia deste personagem, crê-se que é bem possível que tenha sido mesmo o profeta bíblico o criador deste enredo.

O Evangelho de Mateus, no capítulo 1, versículo 5, comprova a presença de Rute como ancestral feminina de Jesus Cristo ao inserir seu nome, o de Boaz e o do filho de ambos, Obed, na genealogia do Messias. Fica clara também, na História de Rute, a participação de Jeová na escolha de cada ancestral do Filho de Deus. Portanto, Rute, apesar de ser estrangeira, não teria sido casualmente selecionada por Ele.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/David
http://pt.shvoong.com/books/1620025-livro-rute/

Arquivado em: Bíblia, Cristianismo