Culto dos Mortos

Os mortos são cultuados em diversas sociedades. Isso ocorre de acordo com as crenças de cada povo. Um exemplo de civilização que praticava o culto dos mortos foi o Egito. Para eles, mesmo após a morte, a vida humana continuava em outro lugar com as mesmas necessidades (moradia, alimentação, etc.). Por isso, os egípcios conservavam os cadáveres para que sua continuidade fosse mantida no além. Os mortos eram tratados da mesma forma que as divindades. Foram desenvolvidos processos que mantiveram os corpos conservados por muito tempo, protegidos contra quaisquer forças que pudessem desintegrá-los.

Aos poucos, o culto dos mortos começa a se tornar um verdadeiro ofício na cultura egípcia. Uma das primeiras técnicas desenvolvidas neste sentido foi a mumificação, na qual eram retirados os órgãos principais do cadáver e, então, colocava-se os corpos encobertos por faixas de algodão dentro de um sarcófago. Existiam três tipos de mumificação, a do Egito faraonitico, a osiriana e a de classe baixa. Após o final do processo, os mortos eram presenteados com móveis, bebidas e outros artefatos. O objetivo destas doações era fazer com que os falecidos, já em outro plano, continuassem a utilizar os objetos em sua nova existência.

Normalmente, os cuidados com os cadáveres ficavam sob responsabilidade da família do falecido. Mas essas atividades tinham alto custo, por isso, apenas os egípcios de classe mais abastada podiam ter esse privilégio. Porém, com o declínio do poder do Faraó, o interesse do povo egípcio no culto ao mortos diminuiu, restando poucas tradições como a libação com água realizada a cada dez dias e o pronunciamento de frases para os cadáveres.

Além da cultura egípcia, quase todas as religiões cultuam os mortos, como a Igreja católica, que venera Santos como intercessores entre os vivos e Deus. Algumas culturas de nativos da América e orientais veneram seus ancestrais de forma a garantir que tenham um bem-estar contínuo em outra vida, além da crença de que os mortos podem influir na vida dos vivos, fazendo-lhe favores ou lhes dando assistência. No espiritismo, acredita-se que é possível a comunicação com os vivos e os espíritos por meio de médiuns.

Fontes:
AZEVEDO, Antonio Carlos do Amaral. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%BAmia#Mumifica.C3.A7.C3.A3o
http://pt.wikipedia.org/wiki/Culto_dos_mortos

Arquivado em: Cultura