Como funciona o sabão?

Graduação em Química (Centro Universitário Franciscano, UNIFRA, 2014)

O sabão tem sua utilização documentada por diversos povos antigos, porém um dos mais famosos relatos está ligado a sociedade Romana. De acordo com uma lenda no Monte Sapo, que era um local utilizado para sacrifícios de animais na forma de cremação, quando chovia a água carregava as cinzas misturadas com a gordura corporal dos animais para as margens do Rio Tibre e ao lavarem roupas neste local as mulheres percebiam que elas ficavam limpas de forma mais fácil. Isso ocorria devido ao processo de saponificação natural que ocorria misturando uma base (cinza) com a gordura. Segundo a mesma lenda o nome “sabão” vem do nome do Monte Sapo.

Um sabão nada mais é do que uma molécula originada a partir de um processo de saponificação composta por uma parte polar e uma parte apolar. A limpeza proporcionada pelo sabão ocorre devido a capacidade que a parte polar tem de interagir com a água e a parte apolar tem de interagir com a gordura. A parte polar chama-se hidrófila e a parte apolar hidrófoba. Quando lavamos um prato por exemplo essas cadeias interagem e formam uma gotícula de gordura chamada micela que é envolvida pela água e carregada, fazendo com que a gordura se desprenda da superfície a ser limpa.

Exemplo de uma molécula de sabão:

A parte circulada em azul representa a parte polar da molécula do Laurato de sódio e a parte da molécula em amarelo é a parte apolar. Já na figura abaixo. Podemos ver a estrutura de uma micela que é formada a partir de um processo chamado emulsificação. A gordura ou parte apolar/hidrofóbica fica no centro envolta pela água ou parte polar/hidrófila.

Uma micela. Ilustração: DariaRen / Shutterstock.com

Hoje em dia existem diversos tipos de detergentes sintéticos que tem a mesma ação que os sabões, porém diferem nas estruturas moleculares, sendo a maioria mais eficiente. O que continua da mesma forma é a presença de uma parte polar e uma parte apolar.

Podemos perceber que os sabões e detergentes evoluíram e ainda evoluem conforme o desenvolvimento da Química e trazem cada vez mais praticidade e eficácia para um processo que é utilizado tanto no dia a dia dentro de casa quanto em escala industrial.

Arquivado em: Curiosidades, Química