Mancha Mongólica

A mancha mongólica consiste em uma melanose dérmica de etiologia congênita, que se caracteriza pela presença, desde o nascimento, de uma pigmentação negro-azulada, localizadas, principalmente, na região sacrococcígea ou nádegas, mas que também pode surgir nas coxas e ombros. Esta mácula costuma desaparecer por volta dos 2 aos 3 anos de idade.

É mais comumente observada em indivíduos asiáticos, indoamericanos e africanos, sendo raro em indivíduos caucasianos.

Esta condição é benigna, que não está ligada a nenhuma desordem. Com frequência, estas manchas são confundidas com hematomas, podendo levar à preocupação com abuso infantil.

Esta mancha caracteriza-se por:

  • Coloração negro-azulada;
  • Bordos bem delimitados;
  • Tamanho variado;;
  • Área plana;
  • Textura normal da pele.

O diagnóstico é clínico. Histologicamente, são observados melanócitos com dendritos celulares alongados, nos quais estão contidos grânulos de melanina.

Não é necessário que seja estabelecido nenhum tipo de tratamento, uma vez que a mancha tende a desaparecer com o tempo.

Fontes:
http://www.dermis.net/dermisroot/pt/21030/diagnose.htm
http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/spanish/ency/article/001472.htm
http://www.emmanuelfranca.com.br/doencas/doencas_mancha_mongolica.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Dermatologia