Pulpite

Pulpite é o termo utilizado para definir uma dolorosa inflamação da polpa dentária, que é a parte mais interna do dente, no qual são encontrados os nervos e vasos sanguíneos.

Dentre as causas do surgimento da pulpite estão:

  • Fatores físicos:
    • Mecânicos: traumas (bruxismo, acidentes, procedimentos clínicos, dentre outros), atrição, abrasão, erosão e aerodontalgia.
    • Térmicos: procedimentos clínicos odontológicos, condutibilidade das restaurações profundas, material obturador, dentre outros.
    • Elétricos: galvanismo.
    • Radiação e quimioterapia.
  • Fatores térmicos:
    • Material obturador: cimentos, pastas e liners, dentre outros.
    • Fármacos: anti-sépticos, dessensibilizantes, desidratantes.
  • Fatores biológicos:
    • Microbiana: cárie dentária (principal causa), espaços anômalos, infecção retrógrada, dentre outras.
    • Idiopática.

Uma vez que a polpa se encontre no interior do dente, esta não possui espaço para expandir quando instalado um processo inflamatório na mesma. Quando uma inflamação discreta for devidamente tratada, o dano ao dente pode ser revertido. Contudo, quando a inflamação for intensa, a polpa é completamente destruída, o que pode ocasionar uma lesão maxilar e dos tecidos vizinhos, em decorrência do aumento de pressão no interior do dente que forçará a polpa até a extremidade da raiz.

Esta patologia resulta em uma dor intensa. Para avaliar a situação da polpa, o dentista realiza diversos testes, como, por exemplo, a aplicação de um estímulo frio. Caso a dor desaparece segundos após a remoção do estímulo, significa que a polpa ainda encontra-se sadia. Outro teste que pode ser realizado é a aplicação de um estímulo elétrico, o que irá apontar a vitalidade da polpa. Quando o paciente sente a pequena descarga elétrica, significa que a polpa está viva. Tipicamente, a sensibilidade à percussão de um dente indica que houve disseminação da inflamação para os ossos e tecidos circunvizinhos. Imagens radiografias auxiliam na confirmação da presença de cáries e evidencia se a inflamação ocasionou perda de tecido ósseo subjacente à raiz do dente.

O tratamento da pulpite reversível é feito por meio da remoção do fator irritativo. Como a cárie é a causa mais frequente de pulpite, esta deve ser tratada de forma adequada. No caso da pulpite irreversível, a polpa dental deve ser completamente removida e, por conseguinte, deve ser realizada uma obturação do canal radicular do dente acometido.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pulpite
http://portfolio.med.up.pt/formigal/pulpite.html
http://www.bolivar.odo.br/apresentacao/servicos/emergencias/pulpite-dor-dentaria-provocada-por-lesao-da-polpa
http://www.manualmerck.net/?id=120&cn=1015

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Inflamações, Odontologia