Síndrome de Tietze

A síndrome de Tietze é definida como uma condição benigna que leva à inflamação de uma ou mais cartilagens costais. Alexandre Tietze, um cirurgião alemão, descreveu esta desordem pela primeira vez no ano de 1921.

Muitas pessoas acreditam que a síndrome de Tietze e a osteocondrite sejam a mesma patologia. Todavia, ambas se diferenciam pela inflamação das cartilagens costais, encontrada na síndrome em questão.

A causa real desta síndrome ainda não foi claramente elucidada. Sabe-se que, em muitos casos, surge em decorrência da realização de esforço físico ou ferimentos leves causados por tosse copiosa, espirros, vômitos, ou pancadas no tórax. Tem sido descrita também após ataques intensos de riso. O estresse emocional pode ser um agravante para esta síndrome, mas não representa uma causa direta.

A manifestação clínica inicial é uma dor aguda no peito, em associação com o inchaço das cartilagens acometidas, facilmente detectáveis no exame físico. A dor pode ser similar a de um ataque cardíaco, podendo levar à hiperventilação, ataques de ansiedade, ataques de pânico e paralisia temporária. Esta doença é considerada benigna, embora muitas vezes seja debilitante, desaparecendo dentro de 12 semanas. Contudo, em muitos casos o quadro pode ser crônico.

O diagnóstico é feito basicamente por meio do exame físico e exclusão de outras patologias que apresentam sintomatologia semelhante. Alguns exames auxiliam no diagnóstico diferencial, como eletrocardiograma, radiografia torácica, ecografia e ressonância magnética.

O tratamento é sintomático, podendo usar anti-inflamatórios não esteroides (AINES), bem como uso de anestésicos locais.

Fontes:
http://en.wikipedia.org/wiki/Tietze_syndrome
http://www.creb.com.br/site/perguntas-e-respostas/dor-no-peito-sindrome-tietze/
http://tietzesyndrome.org/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Síndromes