Agricultura biodinâmica

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

A agricultura biodinâmica é um tipo de manejo orgânico na agricultura, porém, preocupado também com as questões espirituais envolvidas nesse processo de plantio e colheita. Como outros tipos de cultivos orgânicos, rejeita-se o uso de agrotóxicos, o uso de transgênicos e de grandes maquinários agrícolas e a monocultura.

Desenvolvida pela Sociedade Antroposófica, nada mais é do que a aplicação dos princípios esotéricos desta sociedade na agricultura. Foi criada por Rudolf Steiner, famoso escritor esotérico, que foi membro da sociedade teosófica e rompeu com a mesma em parte por entender que ela não era suficientemente cristã, entre outras divergências.

Foi apresentado ao público pela primeira vez em 1924, durante o congresso de Pentecostes da Sociedade Antroposófica, fato que se torna relevante lembrar que a festa de Pentecostes na tradição judaico-cristã não só recorda a descida do Espírito Santo para os cristãos e o aparecimento dos frutos do espírito, mas também desde a tradição judaica era uma festividade sagrada relacionada com a colheita.

A agricultura biointensiva foi desenvolvida com forte inspiração na agricultura biodinâmica, porém, com menos ênfase no aspecto espiritualista. Como a agricultura biointensiva, preza pelo cuidado integral com a agricultura, entendendo que todos os fatores agrícolas devem ser tratados de forma integrada, igualmente preza por uma agricultura diversificada e, portanto, se torna um modelo adequado para a agricultura familiar.

Valoriza e relembra também a forte relação presente na palavra cultura, originária de cultivo, dando ênfase no papel da agricultura em todas as culturas humanas. Além de cuidar do meio-ambiente, acredita que essa transformação na agricultura também vai promover uma transformação nas relações humanas.

A agricultura biodinâmica se baseia no conceito de “individualidade agrícola”, na qual a área plantada (fazenda, sítio ou similares) deve ser plena e a responsável não só por alimentar a plantação, mas por renovar toda ela sendo também a fonte das sementes que serão replantadas ali. Até mesmo os animais daquele sítio devem ser alimentados com rações feitas ali mesmo, assim como os compostos para adubar a terra.

Esta ideia de individualidade agrícola está diretamente ligada ao conceito da natureza, a terra serem comparados com um organismo vivo e independente, um ser vivo, comparável ao corpo humano ou animal, um ser individualizado do resto, mas internamente integrado. Conceitos semelhantes são encontrados nos antigos alquimistas, estudados por muitas correntes esotéricas e inclusive pela antroposofia.

“O ponto central da Agricultura Biodinâmica é o ser humano que conclui a criação a partir de suas intenções espirituais baseadas numa verdadeira cognição da natureza. Ele quer transformar sua fazenda ou sítio em um organismo em si, concluso e maximamente diversificado; um organismo do qual a partir de si mesmo for capaz de produzir uma renovação. O sítio natural deve ser elevado a uma espécie de individualidade agrícola." ¹

Por sua posição assumidamente espiritualista, com influências diversas (até de astrologia), este modelo de agricultura sofre diversas críticas, apesar de apresentar bons resultados na produção agrícola de orgânicos com boa preocupação ambiental e social.

Referência:

¹ http://www.sab.org.br/portal/agricultura-biodinamica/45-o-que-e-a-agricultura-biodinamica

Arquivado em: Agricultura, Ecologia