Como ajudar as crianças a fazerem novas amizades?

MBA em Comunicação Corporativa (Anhembi Morumbi, 2009)
Graduada em Fonoaudiologia (PUC-SP, 2005)

As amizades são essenciais para a alegria e o bem-estar de todo ser humano, afinal, nós somos seres sociáveis e dependemos uns dos outros para vivermos em harmonia. No entanto, fazer amigos pode ser um desafio, especialmente na infância, quando traços de timidez são mais acentuados do que em outros estágios da vida.

Alguns pais se preocupam muito quando percebem que os filhos não têm amigos e voltam da escola tristes ou desanimados, depois de passarem o recreio sozinhos. Mas é preciso entender que as crianças têm seu próprio ritmo e que é necessário intervir com cuidado nos seus processos de socialização.

Ainda assim, existem certas atitudes que os pais podem fazer para ajudar seus pequenos ou pequenas a fazerem mais amigos e, logo, se sentirem mais felizes e com uma autoestima mais elevada. Listamos algumas dicas para isso. Confira!

1. Peça ajuda à escola

Na infância, o principal lugar de socialização para as crianças é a escola. Se você percebe que seu filho está sempre sozinho e que não tem vontade de ir às aulas, vale a pena conversar com os professores e funcionários para saber o que há de errado. As crianças são, naturalmente, sociáveis. Quando o seu filho não está socializando com nenhum coleguinha, isso pode ser sinal de que algo não está bem.

Às vezes, dependendo do mês em que nasceram, os alunos são considerados “fora de faixa” e acabam sendo matriculados junto a crianças um pouco mais novas ou mais velhas que eles. Se esse é o caso do seu filho, o motivo para a dificuldade de fazer amigos pode estar aí! Talvez o seu filho precise estar com crianças mais velhas ou mais novas que ele, com as quais certamente terá mais afinidade!

2. Apresente novos contextos

Se o seu filho não tem amigos na escola, talvez isso aconteça porque, realmente, ele não encontrou ninguém com quem tem afinidade para conversar e compartilhar brincadeiras. Por isso, uma boa ideia é dar ao seu filhote a oportunidade de vivenciar experiências fora do contexto da sala de aula!

Você pode matricular o seu filho ou filha em aulas de música, de teatro ou de algum esporte. Nesses lugares, além de conhecer outras crianças, ele poderá aprender algo novo e, ao mesmo tempo, trabalhar suas habilidades de comunicação, tornando-se mais receptivo!

3. Incentive brincadeiras em grupo

Convidar as crianças para um dia divertido em casa pode ser um pesadelo para alguns pais, mas a verdade é que esses momentos de socialização são importantíssimos para os pequenos e pequenas.

Se o seu filho é muito tímido, converse com ele e sugira convidar coleguinhas para um dia de brincadeiras na sua casa! No ambiente familiar, o seu filho se sente mais seguro e poderá se socializar com mais facilidade, fazendo novos e bons amigos!

Além disso, essas memórias farão parte da vida do seu filho, que se recordará com alegria da época da infância.

4. Considere a possibilidade de procurar ajuda de um especialista

Em alguns casos, a dificuldade de socialização presente nas crianças pode indicar alguns quadros que demandam mais atenção, como espectros de autismo, por exemplo. Preste atenção no seu filho, identificando se ele tem dificuldades de fazer contato visual ou de falar. Se é assim, vale a pena consultar um especialista para pensar, junto a um profissional, a melhor maneira de ajudar o seu pequeno ou pequena a se socializar e fazer amigos!

Em outras crianças, a dificuldade em fazer e manter amigos está relacionada com baixa autoestima e até mesmo depressão. Ainda que pouco discutida, a depressão infantil existe e é um tema que merece a atenção e o cuidado dos pais!

Arquivado em: Educação