Como saber se você foi bem na apresentação de trabalho?

MBA em Comunicação Corporativa (Anhembi Morumbi, 2009)
Graduada em Fonoaudiologia (PUC-SP, 2005)

Ao longo da vida profissional e estudantil, é preciso fazer apresentações em eventos, liderar reuniões, participar de seminários e expor trabalhos. Você já deve ter assistido a diversas explanações tediosas e outras que, ao contrário, prendem a atenção e tornam-se envolventes para o público, certo?

Quando pensamos nas apresentações às quais assistimos, geralmente não temos dificuldade em identificar os fatores que tornaram essas exposições boas ou ruins. No entanto, muitas pessoas – especialmente os estudantes – têm dúvidas sobre a qualidade da própria apresentação. Afinal, nem sempre recebemos um feedback imediato, o que aumenta a insegurança e ansiedade.

Para ajudá-lo a analisar se você tem se saído bem em suas apresentações, selecionamos algumas considerações para interpretar os sinais de uma exposição que não saiu como o esperado. Confira!

1. O público saiu antes de você concluir a sua apresentação?

O tempo de uma apresentação costuma ser bem calculado pelo expositor e pelos organizadores, sendo o necessário para transmitir as informações desejadas e para que o público compreenda com clareza o que foi dito, sem ser sobrecarregado por informações.

Se você está com a impressão de que o tempo está passando devagar demais e as pessoas estão impacientes (olhando no celular, por exemplo), algo não está funcionando no seu discurso ou apresentação de trabalho. Para evitar isso, ensaie sua exposição, cronometre e reduza os trechos muito longos.

Ser mais direto e interagir com os ouvintes são recursos indispensáveis para evitar que as pessoas se cansem e saiam antes de você concluir. Outra boa dica é usar pausas na sua fala!

2. Você desliza no tema e fala sobre assuntos não programados

Esse é um dos principais problemas de quem apresenta conteúdos muito longos ou improvisados no momento. Na hora de selecionar o que irá falar, seja mais específico. Do contrário, há um sério risco de fugir ao tema proposto e apresentar informações desnecessárias para o seu público.

Dedicar um tempo maior selecionando as informações é imprescindível para um bom orador, bem como para a exposição das informações. Isso evitará que as pessoas percam o interesse, não acompanhem seu raciocínio, fiquem impacientes ou se desconcentrem.

3. O seu nervosismo ficou evidente?

Falar em público sempre traz um pouco de nervosismo. Isso é normal até em quem faz várias apresentações ao ano. Mas, em excesso, pode sinalizar algum problema, prejudicando a sua exposição.

O público percebe facilmente se o apresentador está nervoso: seja uma apresentação de trabalho na escola, na universidade ou para clientes. Ao perceber esse incômodo, automaticamente as pessoas que estão assistindo à apresentação se sentem desconfortáveis.

Para evitar esse tipo de situação, o caminho é a prática. Com o domínio do conteúdo e o treino constante para a apresentação, não há motivos para a ansiedade te dominar.

4. Os ouvintes estão muito tempo olhando para o celular?

As telas de celulares são muito atrativas e, hoje em dia, é comum que as pessoas se distraiam conferindo as notificações das redes sociais enquanto assistem a algo – inclusive, a algo interessante.

Quando essa “checada rápida” se torna muito comum nas suas apresentações, vale a pena repensá-las, criando maneiras de prender a atenção do seu público, mantendo-as longe de seus dispositivos por um tempo.

5. O público não lembra da apresentação

Quando uma apresentação acaba, possivelmente, haverá espaço para perguntas ou esclarecimentos. Se você perceber que o público não sabe muito bem o que questionar ou comentar, preste bastante atenção em suas próximas apresentações. Talvez o conteúdo que você ministrou não foi passado de modo tão interessante quanto você pensa.

Se esse for o caso, analise novamente sua exposição, reestruture a apresentação mudando o foco e reveja a sua postura. Com tantas possibilidades de recursos para uma apresentação, se o objetivo não foi atingido, seus métodos podem estar equivocados.

Quando alguns desses problemas é recorrente em suas exposições, procure corrigi-los o quanto antes. Saber que você tem feito apresentações que não estão funcionando pode ser difícil, mas é o primeiro passo para mudar e buscar o sucesso.

Depois de reconhecer os equívocos, faça todas as mudanças necessárias para criar um espaço no qual sua apresentação tenha uma harmonia entre apresentador, conteúdo e público.

Arquivado em: Educação