Transístor

Por volta da década de 1940 ainda eram utilizadas as famosas válvulas, e sempre com uma forte pesquisa para cada vez mais obter-se o aperfeiçoamento delas, no entanto alguns cientistas não acomodados começaram a procurar outras soluções, outros métodos de desenvolverem algo que fosse menos caro e mais eficaz que a válvula.

Grande parte de suas idéias e pesquisas tinham objetivo à descoberta de novos materiais, novos condutores. No meio de suas pesquisas e testes, puderam logo descobrir que nem todos os materiais atendiam as suas necessidades, alguns funcionavam como ótimos condutores e outros como ótimos isolantes, veio então á idéia de formarem algo que atendesse as duas necessidades, ou seja, um intermediário na qual eles chamaram de semicondutores.

A descoberta dos semicondutores

Com esta descoberta podemos dizer que encontraram o segredo para o desenvolvimento do transístor, vindo então o primeiro projeto (ou protótipo) em 16 de dezembro de 1947, um projeto consistindo por:

Um bloco de germânio e três filamentos de ouro onde um filamento era pólo positivo o outro negativo, e, o terceiro tinha a função de controle. O funcionamento desta era bastante simples, sendo que, quando certa tensão elétrica era aplicada usando o filamento de controle, um fenômeno acontecia e a carga elétrica passava a fluir para o pólo negativo.

A partir deste processo tínhamos então o inicio de uma nova descoberta, algo que substituiria as válvulas, e com vantagens, não possuía partes móveis, quase não gastava eletricidade e incomparavelmente era muito mais rápida.

Apesar de este ter muitas vantagens, o primeiro transistor criado era muito grande, mas como já haviam descoberto um componente desta magnitude, cientistas começaram fortemente a estudar uma forma de dexá-los menores. Com muitas pesquisas, logo não demoraram, no início da década de 1950 o transistor foi aperfeiçoado e passou a dominar as indústrias, e consequentemente substituindo as válvulas. Tivemos gradativamente conforme o passar do tempo um aperfeiçoamento, tanto funcional quanto do tamanho do transistor, além do seu preço, que começou a ter baixíssimo custo, com uma velocidade bem maior.

A grade genialidade desta pesquisa foi à substituição do elemento germânio pelo silício, este processo foi à pesquisa chave para a diminuição do componente. Assim após o grande componente praticamente “estável” começou a serem produzidos 1960 pela empresa Crystalonics, decretando o final da era das válvulas.

A nova era da eletrônica

Muito simples de ser usado, um transistor é basicamente composto por três filamentos: Base, Emissor e Coletor. O emissor é o pólo positivo, o coletor, o pólo negativo, enquanto a base é quem controla o estado do transistor, que como vimos, pode estar ligado ou desligado. Um transistor ao ser desligado acaba não tendo carga na base, provocando consequentemente a não existência de corrente elétrica entre o emissor e o receptor. Assim cada transistor funciona como uma espécie de interruptor, na qual, pode estar ligado ou simplesmente desligado.

Arquivado em: Eletrônica