Mary Shelley

Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UNIABEU, 2015)

Mary Wollstonecraft Shelley, nasceu no dia 30 de Agosto de 1797, em Londres. Seus pais eram o filósofo William Godwin e a escritora Mary Wollstonecraft, que faleceu de forma trágica, apenas onze dias depois de dar à luz a Mary. A futura escritora teve uma infância intelectualmente estimulante, proporcionada por seu pai, que possuía sua tutela na época.

Em 1814, aos 17 anos, conheceu o poeta Percy Bysshe Shelley, e logo estavam apaixonados. Neste mesmo ano os dois fugiram para viverem juntos.

No ano de 1816 a primeira esposa de Percy foi encontrada morta em um lago, com suspeitas de suicídio, porém as causas nunca foram devidamente esclarecidas. Após este ocorrido, Mary e Percy se casaram, e foram passar um feriado na Suíça, mais especificamente em Genebra. Ficaram hospedados no mesmo hotel onde estava Lord Byron, e após algumas discussões sobre o campo sobrenatural, veio à mente a ideia de uma competição entre eles, a fim de descobrir quem escreveria a melhor história de terror.

Mary foi a primeira escritora de ficção científica da história, aos 19 anos começou a escrever “Frankenstein” também conhecido como “O Prometeu Moderno”, a qual só fora completada quando a escritora retornou à Inglaterra e se dedicou ao termino do livro de ficção.

Mary e seu esposo tiveram quatro filhos, contudo, tiveram morte precoce, exceto o Percy Florence, o único filho que ficou vivo.

Entre 1818 e 1822 viveram na Itália, até a morte de Shelley, que se afogou no naufrágio de seu barco durante uma tempestade. Mary e Percy voltaram para Londres, onde sua atividade como escritora era sua profissão. Escreveu profissionalmente até o momento de sua morte, tornou-se altamente reconhecida como grande romancista ainda em vida.

Mary Shelley faleceu em decorrência de um câncer cerebral, em fevereiro de 1851, na cidade de Londres, deixando um legado para muitas gerações.

A célebre autora foi colaboradora em muitos contos e ensaios em diversas publicações, dentre elas Keepsake e Westminster Review, também houve contribuições de sua parte em muitos ensaios para Cabinet Cyclopedia com edição de Dionysius Lardner.

Principais obras:

  • Frankenstein (O Prometeu Moderno) (1818)
  • Perkin Warbeck (1830)
  • Matilda (1819)
  • The Last Man (1926)
  • Rambles in Germany and Italy (1844)
  • Lodore (1835)
  • Falkner (1837)
  • The Mortal Immortal (1833)
  • The Fortunes of Perkin Warbeck (1830)
  • Valperga (1823)

Arquivado em: Biografias, Escritores