Miguel de Cervantes

Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UNIABEU, 2015)

Miguel de Cervantes Saavedra nasceu na Espanha, no dia 29 de setembro de 1547, provavelmente em Alcalá de Henares, embora outras cidades tenham entrado em discussão por esse reconhecimento. Seus pais eram Rodrigo e Leonor de Cortinas, que além de Miguel, tiveram mais seis filhos. Em 1563 a família mudou-se para Sevilha, onde Miguel iniciou seus estudos em gramática e latim, aprendendo com os padres jesuítas.

No ano de 1571 lutou na batalha naval de Lepanto, servindo o exército do rei espanhol Filipe II. Ferido, acabou perdendo os movimentos de sua mão esquerda.

Em 1575, quando estava retornando à Espanha, foi capturado por piratas e levado para a Argélia, sendo resgatado cerca de cinco anos depois por sua família, com a ajuda de alguns padres trinitários. Passou, após isso, quatro anos como soldado, conheceu Portugal, e retornou à Espanha, finalmente, em 1584.

Edita na cidade de Madri, em 1585, “La Galatea”, que foi sua primeira novela. Teve contato com grandes literatos da época, e escreveu os poemas dramáticos “Los Tratos de Argel” e “La Mumancia”.

Retrato de Miguel de Cervantes. Foto: Georgios Kollidas / Shutterstock.com

Miguel casou-se com Catalina de Palácios e Salazar. Algum tempo depois foi encarregado pelo rei de coletar os impostos que eram devidos à Coroa. Viajou para Andaluzia e La Mancha, e foi levado preso por três vezes, o motivo seria o constante e insistente atraso na prestação de contas ao rei. Alguns historiadores apontam que, provavelmente, a primeira parte da obra “Dom Quixote” foi escrita quando esteve preso.

Em 1605, com a publicação de “Dom Quixote”, Cervantes conseguiu juntar algumas economias, e com isso teve oportunidade de se dedicar exclusivamente à literatura. O livro fez tanto sucesso, que uma pessoa, fazendo uso de um nome falso, publicou uma segunda parte do romance. Por conta da revolta com tal falsificação, em 1615, Cervantes publicou sua própria segunda parte, escrevendo também diversas obras ao longo deste período. “Dom Quixote” foi traduzido em mais de 60 idiomas, e de geração em geração vem conquistando de crianças a adultos.

Suas obras eram voltadas ao imaginário, embora cercada de períodos históricos, que de forma alguma eram ignorados por Cervantes.

Miguel de Cervantes, considerado um dos quatro gênios da literatura ocidental, morreu no dia 23 de abril de 1616, na cidade de Madri, Espanha. Deixando grande inspiração em diversos níveis, ultrapassando séculos. De forma que romancistas, grafiteiros; poetas; escritores; pintores; escultores; ensaístas; cartunistas; dentre outros, ainda hoje encontram em suas obras um referencial artístico. Em 2016 comemorou-se 400 anos de sua morte, um marco na literatura mundial.

Principais obras:

  • Dom Quixote
  • Novelas Exemplares
  • El Viaje del Parnaso
  • Delingenioso Cavallero
  • Dom Quixote de La Mancha

Arquivado em: Biografias, Escritores