Delineamento em blocos casualizados (DBC)

O Delineamentos em blocos casualizados constitui o mais utilizado de todos os delienamentos experimentais, visto que dificilmente as condições experimentais são semelhantes (de forma que o DIC torna-se pouco eficiente).

Os experimentos instalados de acordo com o DBC são chamados de “experimentos em blocos casualizados”. Os experimentos em blocos levam em consideração os três princípio básicos da experimentação (repetição, casualização e controle local).

A casualização aumenta as chances de que possíveis fatores interferentes desconhecidos fiquem igualmente distribuídos nos grupos experimentais. Porém, quando existem fatores interferentes conhecidos é pouco eficiente contar somente com a casualização (pode ocorrer uma presença desigual dos fatores nos grupos) podendo inteferir no efeito dos tratamentos.

O controle local na DBC é usado na sua forma mais simples, sendo representado pelos blocos, os quais incluem todos os tratamentos. Dentro de cada bloco os tratamentos são distribuidos aleatoriamente. Para que o experimento seja eficiente, cada bloco deve ser o mais uniforme possível, porém os blocos podem ser diferentes entre eles.

Quando se tem dúvida sobra a semelhança do ambiente experimental ou quando se tem certeza da sua heterogeneidade deve-se utilizar o DBC.
Nem sempre bloco é sinônimo de repetição. O número de blocos e repetições coincide apenas quando os tratamentos ocorrem uma única vez em cada bloco, sendo esta forma a mais utilizada. Porém há casos onde cada bloco inclui todos os tratamentos duas ou mais vezes.

No experimentos biológicos, cada bloco pode, por exemplo, ser constituído por animais de caraceristicas semelhantes, como mesmo sexo, idade, altura, estágio fisiológico, fatores que entre outros, interferem na respostas das unidades experimentais.

Arquivado em: Estatística