Origem da Respiração Aeróbia

O aparecimento do gás oxigênio (O2) causou grandes alterações na vida na Terra. Vários organismos anaeróbios obrigatórios morreram. Também morreram organismos que não possuíam processos celulares que protegiam a célula dos efeitos oxidativos e nocivos do gás oxigênio.

Com isso, os seres vivos precisaram evoluir, desenvolvendo mecanismos de proteção das células contra esses processos oxidantes, além de também utilizá-los a seu favor: quebrar as moléculas orgânicas adquiridas na fotossíntese, utilizando o poder oxidante do oxigênio. Esse processo era utilizado pelos ancestrais das cianobactérias.

Quando o agente oxidante utilizado é o oxigênio, uma grande quantidade de energia é formada, bem maior que a obtida a partir da fermentação.

O processo que utiliza o gás oxigênio na quebra de moléculas para a obtenção de energia é chamado de respiração aeróbia (ou respiração aeróbica) e obedece à seguinte equação:

C6H12O6 + 6 O2 + 6 H2O -> 12 H2O + 6 CO2 + ENERGIA

A energia é produzida através da quebra da molécula de glicose pelo O2, obtendo-se gás carbônico e água como produtos.

A equação da respiração é exatamente o oposto da equação da fotossíntese:

12 H2O + 6 CO2 + ENERGIA (LUZ) -> C6H12O6 + 6 O2 + 6 H2O

Isso fez com que se estabelecesse um equilíbrio entre fotossíntese e respiração na Terra primitiva, pois os produtos da fotossíntese são utilizados como reagentes na respiração, e os produtos da respiração são utilizados como produtos na fotossíntese.

FOTOSSÍNTESE <-> RESPIRAÇÃO

Fontes
Amabis, José Mariano. Biologia. Volume 1. Editora Moderna.